Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

17
Fev14

Um regresso ao passado com presentes para o futuro

Patrícia




Vir passar o fim de semana à casa da minha mãe, à casa da minha infância, é uma alegria para a leitora que há em mim. Este fim de semana vinha com ideia de trazer para minha casa três livros: o livro mais bonito da minha estante (Trilogia de la Niebla) e os meus dois volumes do D.Quixote, de Cervantes (mais do que ser um grande clássico da literatura estes livros têm para mim um significado muito especial e por isso ficaram estes anos todos na estante da minha infância – achei que estava na hora de virem para minha casa).



Para além destes e desafiada pela InêsBooks fui à cata do À noite logo se vê, do Mário Zambujal que tinha a certeza fazer parte da estante da minha mãe. E enquanto o procurava encontrei velhos e especiais amigos.

Os cinco volumes dos miseráveis que li há cerca de 10 anos. Os dois  volumes, de capa dura branca de uma simplicidade maravilhosa, de Guerra e Paz de Tolstoi (que ainda não li, acho que vão ser a minha leitura das férias). 

Uns Pear S. Buck da minha adolescência (Terra bendita –lido e relido tantas vezes- e Flor Oculta), os Agatha Crhristie e Connan Doyle de que tanto gostava. O primeiro livro que li “A pousada do anjo da guarda” da Condessa de Segur. O Diário de Anne Frank, incontornável. 


E depois vieram as boas surpresas. Como é que, tendo vivido boa parte da minha vida nesta estante (afinal lembrava-me, e com razão, de que o À noite logo se vê existia nesta estante) nunca tinha tropeçado neste O jogador de Dostoiesvky? Ou pior, como não sabia que, da estante da minha mãe fazia parte o “A Servidão Humana”? Como é que não sabia que tinha o livro do Salinger – the catcher in the rye? Como? Como?


Num ano em que a minha decisão é não gastar dinheiro em livros descobri um filão quase inesgotável de livros para ler. De bons livros para ler. A leitora que há em mim está a bater palminhas de contente. My best birthday present !!!



(“Mas estás outra vez à procura de livros?” muitas vezes o meu marido me disse estas palavrinhas este fim de semana)

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.