Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ler por aí

Ler por aí

23
Ago18

Curtas 2018 # 1 Direitos dos leitores (parte 9)

Patrícia

Ouvir um livro pode ser uma experiência bastante interessante. Há quem diga que ouvir um livro não é o mesmo que ler um livro. E eu concordo. Não é definitivamente a mesma coisa. 

Arrisco-me a dizer que haverá alguma diferença na forma como o cérebro processa as duas informações mas isso não faz com que quem ouve um livro seja menos leitor que quem o lê.

E na verdade, há vantagens em ouvir um livro.

Para além de nos permitir ler em vários situações (eu oiço audiobooks enquanto conduzo, durante o almoço ou durante caminhadas, por exemplo) também transforma a experiência de ler, tornando-a especial.

 

Na verdade, ouvir histórias é regressar ao passado. Antes, muitos antes, de se inventar a escrita já a literatura oral era uma realidade... e sem ela, a escrita nunca teria sido necessária ou imaginada. Porquê esta resistência aos audiobooks?

Um poema, por exemplo, só ganha em ser declamado. A própria declamação é uma arte nada menor.

A verdade é que ler, declamar, contar histórias não é para qualquer um. Por isso é tão importante a voz, o talento destes contadores de histórias.

 

O audiobook que estou a ouvir neste momento, Bands of Mourning (de Brandon Sanderson), ganha imenso no formato audiobook. Há diálogos hilariantes neste livro, há um personagem cujo talento para imitar vozes é brutal e a leitura tradicional não lhe faria justiça. A verdade é que dou por mim a rir à gargalhada a ouvir isto e sei que sem o talento do narrador do audiobook (Michael Kramer) não iria achar a mesma piada. Brandon Sanderson escreveu mas foi o Michael Kramer que lhes deu vida. 

 

Ler também é ouvir.

 

Direitos dos leitores:

Ler mais livros

Não gostar do livro que toda a gente gostou

Mudar de opinião acerca de um livro

"Viver" os seus livros

Ler em todo o lado

Ler em vários formatos e línguas

Não ler

Ler na diagonal ou saltar parágrafos/páginas