Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ler por aí

Ler por aí

02
Dez16

Adoração, de Cristina Drios

Patrícia

adorac3a7c3a3o.jpg

 

"Na verdade sois feito daquilo que o Caravaggio nos seus quadros pinta, sois feito de luz e sombra, de vida e morte, de culpa e perdão"

 

Quem não conhece a Cristina talvez não saiba mas ela tem uma voz extremamente característica. Ler este livro foi (quase) ouvi-la contar esta história.

O Adoração para mim será sempre o livro onde aprendi um pouco sobre Michelangelo Merisi, o Caravaggio. E acho que é isso que a Cristina pretende. Falar-nos de Caravaggio. Falar-nos de amor, de perfeição, de erros, de sombras, de obsessão, de luz, de vida.

A realidade e a ficção misturam-se (admiravelmente) nas várias histórias que nos são contadas. E dentro da ficção as várias histórias entrelaçam-se. Antónia Rei e a sua amizade por um pequeno cão, o remorso de Salvatorre Amato, a fuga de Caravaggio, a história de um quadro roubado e a história de amor, desprezo e obsessão de Matteo Mattei.

Só gostaria de ter conhecido melhor Antónia Rei, gostaria de lhe ter conhecido a força, a fúria, a coragem.

Alguns dias depois de acabar de ler este livro, a personagem que continua a fascinar-me é o duque de Nottetempo. Confesso que ainda não percebi muito bem porque é que este personagem me intrigou tanto uma vez que a palavra que usaria para o descrever seria “execrável” mas a verdade é que me fascinou e acredito que isso se deve à beleza que a autora empresta ao texto, às palavras.

Porque o melhor deste livro é, sem qualquer dúvida, a escrita da Cristina. Vi-me a marcar passagens para reler (logo eu, que nunca marco nada). Dei por mim a ler este livro com calma, saboreando as palavras.

 

"Caravaggio é, como todos os génios, o futuro que vive entre nós. Um homem cuja idade não se conta a partir do dia em nasceu, mas do dia em que nasceu Adão, e um homem que nunca morrerá por sempre ter sido futuro"

 

20
Out16

Adoração, de Cristina Drios*

Patrícia

A Cristina é uma escritora fantástica (sigam o link e leiam algumas opiniões do pessoal da Roda dos Livros sobre os livros que já escreveu). E o seu novo livro Adoração já está à venda (e antes que digam que é muito caro, o ebook está a 7,20€).

Deixo-vos a sinopse, a capa do livro e uma foto da apresentação que foi hoje. Depois de ler, virei cá deixar-vos a minha opinião. Leiam para depois podermos conversar um bocadinho...

adorac3a7c3a3o.jpg

 

 

Uma rapariga, um comissário de polícia, a Máfia e Caravaggio.
 
Descrito pelo duque de Nottetempo, seu contemporâneo, como «um brigão, um arruaceiro», o pintor Caravaggio passou uma curta temporada na Sicília em 1609, aguardando o indulto papal para um crime de sangue que cometera em Roma. Nesse período, pintou uma tela que ficaria conhecida por A Adoração e que esteve no Oratório de S. Lourenço, em Palermo, até ser roubada em 1969, ano em que nasceria Antonia Rei.
É essa mesma Antonia que, em 1992, testemunha um homicídio perpetrado pela máfia numa praça da cidade, onde é interrogada pelo comissário Salvatore Amato, que acaba por contactar alguns dias mais tarde. Mas não é curiosamente sobre o assassínio que lhe quer falar, antes sobre o roubo do famoso quadro.
Oscilando entre épocas afastadas no tempo, entre a história fascinante da pintura d’A Adoração e a da investigação de Salvatore Amato num dos mais violentos períodos da acção da máfia, este romance recorre aos jogos de espelhos que Caravaggio usava nas suas pinturas para atrair ao mesmo vórtice de luz e trevas as vidas de um leque de personagens cativantes, mortas ou vivas, mas todas misteriosamente condenadas ao desencontro.
 
14642286_1571388679553749_6900553546025766978_n.jp
 
* Como sempre neste blog a "publicidade" é sempre de minha responsabilidade, completamente parcial e porque gosto dos escritores.