Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ler por aí

Ler por aí

19
Abr18

Conversas (sur)reais #5: Tenho sempre um (!) livro comigo

Patrícia

DbGJaxpWkAIRYem.jpg

Estava eu alapadíssima no sofá, com o gato ferrado a dormir ao meu colo, enquanto ele via futebol:

Eu: faz-me um favor, vai lá à minha mochila e traz-me o livro da Agustina

Ele: ...

Eu: Só não vou eu porque o gato está a dormir ao meu colo!

Ele: Não é isso. Diz-me que só tens esse livro dentro da mochila

Eu: errrr porquê? E se tiver outro? Qual é o problema?

Ele: Andas a carregar DOIS livros o dia inteiro?

Eu: A tua mochila pesa mais!

Ele: A minha mochila tem o computador do trabalho

Eu: E então? Eu estou a ouvir o outro em audiobook e posso precisar ir ver qualquer coisa ao livro, sabes que os nomes são esquisitos e às vezes preciso de os ver escritos.

Ele:...

Eu: tenho que ser eu a ir buscar o livro, não é?

Ele: Deixa estar que eu vou...

(e foi, que é um querido)

 

Nenhum de nós comentou o facto de, dentro da mochila, para além dos dois livros ainda estar o ereader. É que nem sempre tenho bateria no telemóvel...

 

03
Jun16

Conversas (sur)reais #4: O orçamento da Feira do Livro

Patrícia

Em conversa com Mamãe depois de chegar da Feira do Livro:

 

Mãe: Então a Feira? Compraste muitos livros?

Eu: Não. O costume. O orçamento para a feira é de 20€ e cumpri. Dois nos alfarrabistas (um Ondjaki e um Harry Potter para acabar a coleção em português) e um novo do escritor que vem conversar com a Roda dos Livros no dia 06 de Junho

Mãe: Ainda me lembro do que gastei da última vez que te levei a uma feira do livro. 

Eu: Ena, eu fiz a minha colecção da Agatha Christie e do Sherlock Holmes nas feiras do Livro...

Mãe: Querias os livros todos. Nessa feira do Livro em Loulé gastei 5 contos em livros para ti.

Eu: Eh, eh, bem bom

Mãe: Dinheiro gasto em livros é sempre um bom investimento.

 

(2 conlusões: a culpa de eu ser viciada em livros é da minha mãe - abençoada seja - e o orçamento que reservo para a feira aos 37 é menor do que o que tinha aos 12 ou 13. Se calhar está na hora de aumentar o orçamentos das feiras...)

 

 

19
Abr16

Conversas (sur)reais #3: HP a fazer magia

Patrícia

Considerando que o J. faz parte do lado negro da força (os únicos livros que leu na vida foram os do vampiro Valentim, quando era puto e estava de castigo, e o Drácula, de Bram Stoker, para a escola) seguinte conversa deixou-me pasmada e orgulhosa:

Eu – J. devias ler os livros do GoT

J. (sobrinho de 16 anos) – São muito grandes…

P. (marido fofinho e irónico) – o J. vai é ler os livros de “Uma aventura”*…

Eu – Achas? Com a paixão que ele tem por filmes de terror vou-lhe oferecer os contos de Edgar Allan Poe

J. – Oh Patrícia, o que eu queria começar a ler era os livros do Harry Potter….

O orgulho que eu senti, senhores nem imaginam. A pensar que aquele era (literariamente falando) um caso perdido e sai-me esta vontade. Harry Potter a fazer magia tantos anos depois.

 

(obviamente já lhe prometi que lhos empresto todos)

(coisa mai linda da tia que se atira de cabeça para uma maravilhosa aventura de 7 livros)

(* os "Uma aventura" são maravilhosos... mas não para a idade dele, ok?)

10
Fev16

Conversas (sur)reais #1: Há horas próprias para ler?

Patrícia

Conversa real com um colega (cujo turno começava às 10h):

 

Colega 08:09:

Bom dia!!! É verdade... já a pé! Olha vou ajudar-vos... pode ser?! Assim sinto-me útil...

Eu 08:09:

bom dia

estás maluco?

Colega 08:09:

Epá... ter filhos é levantar às 6:30 e pronto para a vida... :)

Eu 08:10:

vai ver um filme

ler um livro

e depois queixam-se que não têm tempo e que eu é que sou viciada no trabalho

Colega 08:10:

Ler um livro??? Mas quem é que lê um livro às 8 da manhã?! :)

Eu 08:10:

hummppfff

(eu? tantas vezes)

Colega 08:10:

:)

Pois... só tu... :) Eu não... de manhã nunca... só à noite.

 

Sim, leio de manhã, à tarde ou à noite. Na hora de almoço, nos transportes públicos e em qualquer fila onde esteja parada. E sim, é assim que “tenho tempo” para ler.