Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ler por aí

Ler por aí

24
Nov17

Limões e livros

Patrícia

Ando há demasiado tempo, por razões pessoais e profissionais, arredada dos eventos literários. Falhei, com grande tristeza minha, todos os festivais de literatura dos últimos meses. Mas hoje começo a "vingar-me". Vou regressar, em grande, aos eventos, às apresentações e às leituras (até isso ficou numa espécie de limbo nos últimos meses).

Ir a uma apresentação de um livro é sempre interessante mas é ainda melhor quando conhecemos a escritora. A Carla (e os seus livros) foram uma das coisas boas que este blog me trouxe. Comecei por acompanhar o seu monster blues, li alguns dos livros e, porque temos algumas paixões - a gata dela é linda, linda - e causas em comum, volta e meia vamos conversando, trocando impressões por essas redes sociais...

Hoje é dia de a ir apoiar e comprar o seu "Limões na madrugada". Para ajudar à festa, alguns excertos vão ser livros pela divertidíssima Ana Saragoça

É hoje, na Fnac do Oeiras Parque, às 19h. Vamos lá?

 

Limões.jpg

 

 

04
Abr17

O Ano da Dançarina, de Carla M. Soares*

Patrícia

17796148_10206981200003307_2646018012305418477_n.j

 

Diz que amanhã está à venda, este O Ano da Dançarina, da Carla, uma escritora que já conquistou o seu lugar nas estantes e livrarias deste país.

Este ainda não é O livro da Carla que espero (ainda não perdi a esperança, Carla, de ver o Mão na rua) mas é sem dúvida uma óptima forma de ficar a conhecer melhor o Portugal de 1918 (e de passar umas boas horas).

Ide ao facebook da escritora que por lá ela explica como podem ganhar um exemplar deste livro que estará à venda amanhã, dia 05 de Abril.

 

*e não, nem a Carla nem ninguém me encomendou a divulgação. Como todas as que aparecem por aqui, são de minha livre e espontânea responsabilidade.

 

07
Jul15

Desassossego da Liberdade

Patrícia


A Sofia tevea certeza que havia por aí quem fosse “…umlivro em branco que, afinal, se encontrava cheio de histórias” e vencendoobstáculos (leiam nas palavras dela), conseguiu trazer-nos este livro cheio deliberdade. Tanta gente diferente que se juntou para sonhar este livro queconseguiu proporcionar-me bons momentos.

Também paramim é difícil falar destes contos, conheço-lhes a voz e os sorrisos e opinarapenas pelas palavras torna-se redutor e impossível.

Não vos digoque gostei de igual forma de todos os contos mas gostei de muitos, quase todos.E alguns vou reler muitas vezes, vou deixar-me desassossegar vezes sem conta,num “somatório de pequenos instantes que,de tão pequenos, se parecem o mesmo”.

Claro quesinto um carinho muito especial, um orgulho imenso ao ler as páginas do “Tempovazio” da Márcia. É sempre bom ver sonhos tornados realidade, é sempre bom vero orgulho e a coragem estampados na face de uma amiga. E dá vontade dizer queum dia hei-de procurar entre os meus livros, revirar e desarrumar tudo. E vê-lo-eiaparecer. O teu livro. Com o teu nome da capa.

A todos, semexceção, os meus Parabéns. Sinceramente, gostei J
27
Set12

A Grande Mão, de Carla M. Soares

Patrícia
A Carla M. Soares, do blog Monsters Bues, disponibilizou (temporariamente) no seu blog, o ebook A Grande Mão e eu, sem grande tempo nem cabeça para leituras mais complexas, estive a lê-lo.

Não sabia o que me esperava e não tinha qualquer expectativa (ainda não li o livro dela, Alma Rebelde). 

O livro, de fantasia e aventuras, conta-nos a história de um rapaz, o Nolan, que é especial. Desde início se percebe que a sua relação com a natureza é diferente.       Temos também uma guerreira e o seu fiel companheiro. Quando os três se juntam são capazes de tudo... especialmente quando o dom de Nolan se intromete e os torna capazes de mudar o destino. Afinal o destino tem que se adaptar às escolhas de cada um deles. 
A história é interessante, o dom do Nolan é bastante bem conseguido (a mim encantou-me), a sua empatia com o Tinta dá um toque especial ao livro (tenho um fraquinho por cavalos) e a sua ligação com Eirina dá-lhe uma dimensão mais humana, aproxima-o do leitor. 

Confesso que ao longo do livro me interroguei qual seria o público-alvo deste livro. Posso, sem dúvida alguma, incluí-lo no género YA. Mas, a história no geral parece-me mais indicada para um público mais jovem. Mas no particular nem por isso. E este é o pior que tenho a dizer deste livro. Há cenas um pouco violentas demais, gráficas demais para miúdos. Não são muitas, mas há. Não é um livro que conta uma história feliz. Há algumas situações tensas e muitas mortes, demasiadas. E nem todas são absolutamente justificáveis (e se estamos à espera disso da parte dos vilões, não o estamos da parte dos heróis).
Quero com isto dizer que acho que com algumas partes um pouco mais suaves é um livro capaz de entusiasmar alguns miúdos. Sei que eu teria, na minha adolescência, gostado bastante (O Tinta e o dom do Nolan garantiam isso)... mas enquanto adulta acho que há cenas demasiado fortes para que o ache adequado para essa faixa etária.

Resumindo: Acho que a Carla está de parabéns, obrigada por nos teres dado a oportunidade de ler. Se um dia ela escrever a continuação desta história vou fazer questão de a ler. 

(* foto descaradamente roubada do blog da autora )