Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

07
Mar18

Sugestões à Quarta: Literatura Feminina

Patrícia

Já sabem que sou fã do Biblioteca de Bolso e que é, sempre, um dos podcast que sugiro aos leitores. Ainda assim não é por acaso que hoje a sugestão é esta.

Amanhã assinala-se o Dia Internacional da Mulher, um dia que não pretende celebrar o ser-se mulher, o sexo feminino ou maravilha que é parir, ter mamocas ou usar batom. Não é, da mesma forma, o dia certo para me oferecerem uma rosa. Eu adoro receber flores... excepto neste dia. 

O dia Internacional da Mulher é um dia triste. É um dia que é, infelizmente, necessário porque a MGF ainda é uma realidade, porque ainda há meninas que, por terem nascido com vagina, não podem ir à escola, não têm direitos, não são donas do seu próprio corpo ou da sua vontade. 

O dia Internacional da Mulher é um dia triste. Confesso-vos que, para mim, é um dia cada vez mais triste porque a cada ano que passa percebo melhor a sua necessidade.

Vivemos numa época em que se fala cada vez mais, mas não melhor, acerca de feminismo. Numa época em que se diz, com orgulho, que não se é feminista. Vivemos numa época em que se inventou um palavrão pegando nas palavras "feminista" e "nazi". Vivemos numa época em que a regressão da sociedade parece estar a acontecer e ser imparável. 

Na Literatura há cada vez mais mulheres. A esmagadora maioria dos leitores são mulheres. Mas ainda se fala de "literatura feminina" como um género. E um género menor ainda por cima. Não sei o que é literatura feminina (ou vou fingir que não sei a que se referem) e vou dizer-vos que se literatura feminina é o que as mulheres lêem, então eu gosto literatura feminina. E que se literatura feminina é o que as mulheres escrevem... então devo assumir que sou absolutamente fã de literatura feminina. 

Este episódio da Biblioteca de Bolso tem muitas mulheres de talento. Tem a Inês Bernardo (que juntamente com o Mário Silva teve a ideia e conduz estas conversas), tem a Filipa Leal, a Sylvia Plath, a Adília Lopes e a Clarice Lispector. Tantas mulheres interessantes que ajudam a dar páginas e voz à literatura feminina.

 

 

2 comentários

Comentar post