Ler por aí
 
08 de Maio de 2016

Adoro a palavra "estragadores" que a Cati usou para nos avisar que poderia "estragar-nos" a leitura do Jesus Cristo bebia cerveja... porque é mesmo isso que parece corriqueiro hoje em dia. Está na moda estragar  a leitura dos outros

Contar pormenores importantes , contar o final, qual é o gozo?  

Eu compreendo que às vezes temos que desabafar e isso só é possível "estragando" a coisa aos outros. Se eu acho que um texto vai ter um spoiler/estragador, aviso. Se estou a falar com alguém só conto se esse alguém não tem interesse em ler o livro. Não conto o final de filmes, séries e afins. Mas parece que está na moda. Nem vale a pena falar do GOT onde a arte dos estragadores foi elevada ao seu expoente máximo. 

Falo dos livros mais ou menos banais. Já nem sequer ouvir entrevistas com os escritores ou com os editores é seguro. Juro-vos. 

Já vos falei de um mega spoiler na entrevista da Clara Ferreira Alves  e no outro dia estava a ouvir um podcast "à volta dos livros" e uma editora contava toda a história do livro. 

E já ouvi falar de apresentações de livros onde foram contados todos os pormenores das histórias...

Raisparta esta mania.... PAREM DE NOS ESTRAGAR AS LEITURAS!!!

publicado por Patrícia às 13:56 link do post
Excelente palavra, não haja dúvida! :)
Marco Neves a 10 de Maio de 2016 às 17:28
Concordo plenamente contigo, acho que se querem desabafar, avisem primeiro. Porque nós vamos ler os comentários para saber se o livro ou etc é bom e não para saber o livro inteiro!!!!!!
Sugar Candy a 10 de Maio de 2016 às 20:09
Creio que não desvendei lá muito, na crítica que fiz a "Jesus Cristo bebia cerveja" (realmente não é agradável saber o final da história antes de a lermos):

http://numadeletra.com/22922.html

Aproveito para convidar toda a gente para a festa do Numa de Letra.
Começa às 00h01m de amanhã (já falta pouco :-)

numadeletra a 10 de Maio de 2016 às 21:03
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana margarida de carvalho

ana saragoça

anne bishop

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mistborn

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

oathbringer

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

pot-pourri de assuntos

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

sugestões à quarta

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

virginia woolf

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO