Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

21
Jun19

Shadows for Silence in the Forests of Hell, de Brandon Sanderson

Patrícia

516ad6MBnvL.jpg

 

 

Quão brutal é este título?

Shadows for Silence in the Forests of Hell é uma novela (é bastante difícil chamar conto Ou Short Story a qualquer coisa que o Brandon Sanderson escreva) inserida na colectânea Arcanum Unbounded. Este livro é uma espécie de doce oferecido aos leitores que desesperam por perceber Cosmere, esse universo que está a ser construído pelo autor e que engloba as grandes sagas Elantris, Mistborn (era 1), Mistborn (Era 2), Warbreaker e Stormlight Archives. Não é necessário saber sequer o que é Cosmere… mas é brutal quando sabemos. Na verdade o que os leitores que não conhecem Cosmere acham “palha” nestas séries é aquilo que nós, geeks, procuramos porque queremos muito perceber este universo.

No Arcanum Unbounded estão juntos os contos e novelas que foram sendo publicados aqui e ali pelo autor. Este, por exemplo,também faz parte de uma antologia organizada pelo George R.R. Martin chamada “mulheres perigosas”.

Se tivesse que catalogar esta história, diria tratar-se de uma mistura de Thriller com uma pitada de Horror muito mais que uma história de fantasia.

Num mundo pós-apocalíptico, onde as Sombras (Shades) matam quem não cumpre as regras básicas (não fazer chamas, não derramar sangue, não correr) e só podem ser combatidas com Prata, Silence Montane dirige um dos lugares mais seguros da Floresta do Inferno, terra dos danados, uma estalagem onde as Sombras não entram e que se diz ser assombrado pela Sombra do ex marido da Silence. Quando esta mulher reconhece um dos assassinos mais procurados a comer calmamente à sua mesa, é a vez de White Fox, o mais perigoso caçador de recompensas da floresta, entrar em acção.

Gostei imenso deste conto, de Silence e William Ann. Tive pena da personagem de Sebruki não ter sido mais desenvolvida e da maioria das personagens e criaturas se ter ficado pelas duas dimensões. Mas isto é um conto e não uma saga, por isso não dá para reclamar.

Adorei (e confesso que dei uma gargalhada quando me apercebi do que estava a acontecer) a avó da Silence.

E adorei a mulher que é Silence, a sua força, a sua determinação. E tiro o chapéu ao Sanderson que contou a história de uma mulher perigosa sem a transformar num homem.

2 comentários

Comentar post