Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

19
Jun09

Sebastian e Belladona, de Anne Bishop

Patrícia



Sebastian
Bem-vindos a Efémera, onde a terra se altera em resposta aos mais profundos desejos e medos dos seus habitantes.
Há muito tempo, Efémera foi dividida em inúmeras paisagens mágicas ligadas somente por pontes. Pontes que podem levar quem as atravessa para onde realmente pertence e não ao local onde pretende chegar. Numa dessas paisagens habitada por demónios e onde a noite impera, o meio-íncubo Sebastian delicia-se em prazeres obscuros. Contudo, aguarda-o um destino devastador. Uma aprendiza descuidada libertou um mal antigo que agora se agita – e o reino de Sebastian poderá ser o primeiro a sucumbir… Mas em sonhos, ela chama por ele: uma mulher que não deseja mais do que ser amada e sentir-se protegida – uma mulher pela qual ele anseia mas que sabe poder vir a destruí-la. Ela é Lynnea, e o seu improvável romance está no centro da batalha que se trava entre a luz e as trevas.



Belladonna
Bem-vindos a Efémera, onde a terra se altera em resposta aos mais profundos desejos e medos dos seus habitantes.
Há muito tempo, Efémera foi dividida em inúmeras paisagens mágicas ligadas somente por pontes. Pontes que podem levar quem as atravessa para onde realmente pertence e não ao local onde pretende chegar.Uma a uma, as paisagens de Efémera estão a cair na sombra. O Devorador do Mundo está a espalhar a sua influência, manchando as almas das pessoas com dúvida e medo, alimentando-se das suas emoções mais negras. A cada vitória o Devorador aproxima-se da conquista final.Apenas Glorianna Belladonna possui a habilidade de frustrar os planos do Devorador. Mas os seus poderes foram mal interpretados e incompreendidos. Determinada a proteger as terras sob o seu domínio, Glorianna defrontará o Devorador sozinha se assim estiver no seu destino.



Dois livros, uma história. Mais uma de Anne Bishop.
No primeiro volume conhecemos Sebastian e Lynnea e todo um mundo saído da imaginação da autora. Um mundo dividido em paisagens que se moldam pela vontade da paisagista, que respondem aos apelos e desejos do seu coração, que reagem e interagem com a sua paisagista e com os habitantes que lhe pertencem. O mundo é Efémera, a paisagista Belladonna e Sebastian, um dos habitantes do Antro de devassidão que é, talvez, a mais negra das paisagens controladas por Belladonna.
Lynnea tem um desejo e Sebastian está no seu caminho... se ambos se conseguirem encontrar e seguir o coração. Lynnea vive na Luz, Sebastian no paisagem mais obscura que parece ter sido criada à sua medida....
Mas Éfemera está em perigo e este par improvável terá um papel importante na luta contra o mal.
Belladonna é o segundo livro da história... decidir-se-à a guerra contra o Ente, o Devorador do mundo que interfere não só nas paisagens de Belladona mas com o resto de Efémera.
Não tão negra, não tão sensual, esta história agradou-me mais que a triologia das Jóias Negras. Principalmente pela personagem principal, Glorianna Belladonna!
Glorianna Belladonna, a paisagista, é uma mistura de luz e escuridão, e é essa dualidade que lhe dará a capacidade para enfrentar o Devorador do Mundo, o Ente... maligno quanto baste consegue libertar-se e vaguear pelo mundo tirando partido do medo, das dúvidas, da inveja, semeando uma pequena planta de escuridão e mal nos corações. e como efémera reage aos desejos do coração há o perigo real de se tornal completamente maligna. Para enfrentar o mal que se libertou, há uma paisagista proscrita que conta com a ajuda de Lee, o construtor de pontes, de Sebastian, o meio-íncubo, de Nádia , a paisagista, de Michael, o mago, e de mais alguns amigos...
Belladona (curioso beladona ser um veneno) é a chave, o coração para vencer o mal. Ela própria o sabe. E sabendo que é diferente, que é uma verdadeira "guia do coração, e que o medo, o preconceito não permitirá que as restantes paisagistas a ajudem. No fundo sabe que terá que ser ela sozinha, a enfrentar o devorador do mundo. O "como" é que me surpreendeu e fascinou.
Afinal, porque é que há luz nas trevas e trevas na luz?

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.