Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

20
Mar15

Se nos encontrarmos de novo, de Ana Teresa Pereira

Patrícia
 
Raras vezes um livro me deixa com sentimentos tãocontraditórios como este “se nos encontrarmos de novo”.
Não conhecia esta escritora e foi (mais uma vez) através daRoda dos Livros que este livro me veio parar às mãos. Extremamente bemrecomendado, as expectativas eram altas.
A verdade é li metade do livro de uma assentada. O início éfenomenal e agarrou-me completamente. É um texto cheio de sentimento e acima detudo sobre sentimentos. Enaltecer o Amor, a saudade e a perda não está aoalcance de todos. Fazê-lo com uma escrita deliciosa e intimista ainda menos.Ana Teresa Pereira conseguiu-o. Por isso aconselho esta leitura sem reservas.
O meu problema foi a segunda metade do livro, a que li maistarde, já sem a surpresa que me proporcionou uma leitura empolgante. Boa partedo interesse do livro está nas constantes citações, referências e ligações àliteratura, à pintura, à arte em geral. Iris Murdoch, Piet Mondrian e William Turnersão apenas alguns dos artistas constantemente presentes. Mas não há uma citaçãotraduzida. Para mim, que sou fluente em inglês, isto não é preocupante. Mas nãoconsigo deixar de me incomodar com a absoluta falta de respeito pelos leitoresPortugueses que não compreendem inglês e que por isso não irão compreender asreferências. Não há uma nota de rodapé com a tradução. Este livro merece ser livroe relido de uma assentada, esta leitura não se coaduna com paragens para ir aodicionário nem para grandes buscas na internet. É certo que após a leitura fuiver/rever as obras mencionadas mas durante a leitura queria era continuar aler. Talvez este seja um problema da editora e não da escritora, da revisão enão da escrita mas ainda assim acho de uma falta de respeito pelos leitores queme irritou um bocado.
Por outro lado adorei a estrutura do livro. Uma históriacontada a duas vozes, sem nunca perder o interesse. Duas vozes tão diferentesmas que brilham ainda mais juntas. Byrne e Ashley, duas almas que partilhammomentos, sentimentos, vidas que se cruzam. Byrne, Ashley, Rose, Tom e Ed,todos com tonalidades diferentes a criar imagens à medida que a escrita de AnaTeresa Pereira me conquista.

1 comentário

Comentar post