Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

16
Jun15

GoT - o grande vencedor

Patrícia

Acho que o GoT, season 5, traumatizou toda a gente.  Uns pela cena da noite de núpcias da Sansa, outros pela morte do "vocês sabem quem". A mim, confesso, começa a traumatizar-me também, mas não por estas razões específicas.
A minha relação com o GoT é antiga. Comecei a ler os livros há já 7 anos. Li de enfiada 6 e depois descobri que eram 7 no original e que por cá estavam a ser publicados às metades. A coisa irritou-me sobremaneira e não li mais nada até hoje. Também comecei a ver a série tarde e acabei por, numas férias, ver de enfiada 4 temporadas. Esta quinta vi-a On time e confesso que me começou a cansar.

Uma das coisas que me irrita é o lapso de tempo até que certos personagens apareçam. Já nos livros era a mesma coisa mas na série a coisa tornou-se irritante com a total ausência do Bran e companhia toda a temporada. Eu compreendo que são demasiados personagens, demasiadas coisas, demasiados sítios mas ainda assim, não gosto.

E esta mania de matar tudo e todos até teve piada no início. O ninguém está seguro é uma óptima forma de nos manter agarrados à história mas epá, já chega, ok? (e não, não estou a falar do "vocês sabem quem" nem sequer me interessa se ele volta ou não). Só sei que a melhor piada que ouvi hoje foi "morreram todos e acordaram numa ilha". 


A extrema violência do GoT já me cansa. Ok, a idade média era assim e tem tudo muita lógica até ao ponto em que parece que tudo se baseia em "vamos lá ver se conseguimos matar ou torturar mais alguém com requintes de malvadez". E confesso, a Shireen foi a gota de água. Isso e ser o puto da muralha a espetar a última faca. Demasiado. Chamem-me menina, I do not care! Há cenas que são absolutamente desnecessárias e a história e o mundo criado pelo Martin são demasiado bons para se perderem atrás de cenas macabras. Há coisas que fazem falta para caracterizar os personagens mas a sensação que tenho é que aquilo é apenas uma sequência de cenas de tortura. 

Por último e o que mais me irrita é a possibilidade da série passar à frente dos livros. Acima de tudo o GoT é uma série de livros e quer-me parecer, a fazer fé em todos os boatos e notícias que por aí tenho lido, o escritor esqueceu-se que foram os leitores que o transformaram num sucesso. Uma boa parte (e nem quero saber se concordam ou não, a melhor parte) dos que assistem à série são os mesmos que esperam e desesperam pelos livros, que compram os livros. 

É que quem diz que "os livros são uma coisa e a série é outra, faz sentido que avancem por caminhos diferentes"é, na minha (não tão) humilde opinião, um energúmeno que não compreende a traição que é mudar o que está escrito num livro.

Não permitir que os leitores originais da série possam saber quem vai, afinal, vencer a guerra dos tronos primeiro é de uma falta de respeito a toda a prova mas é, acima de tudo, a prova de que o grande vencedor da guerra é mesmo o dinheiro.



Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.