Ler por aí
 
28 de Dezembro de 2017

Relembrando um dos Direitos dos Leitores, mais especificamente o segundo, hoje venho falar-vos de não gostar de um livro.

Pessoas, vamos lá a perceber: é normal que haja quem não gosta daquele livro que nós adorámos. É normal que duas pessoas diferentes tenham opiniões diferentes acerca do mesmo livro. É normal que nós não gostemos de um livro que outra pessoa gostou.

Como diz uma amiga minha, é por isso que o mundo não tomba. Diria ainda mais: não é só normal como saudável e espectacular que 2 duas pessoas diferentes tenham opiniões diferentes acerca de um livro.

Quando alguém não gostar daquele livro que vocês gostaram, não façam birra, não se armem em crianças mal-educadas e não vejam isso como um ataque pessoal. Mesmo que a pessoa diga (ou escreva): “aquele livro é uma merda” não precisam ficar ofendidos, a grande probabilidade é que seja apenas um desabafo parvo e não uma ofensa mortal (e se ao dizer isso a pessoa vos estiver a tentar ofender, então tb ela se está a comportar como uma criança mal-educada que merece dois tabefes).

Quando alguém não gostar daquele livro que vocês gostaram, falem com essa pessoa, oiçam as suas razões, tentem mostrar-lhe outro ponto de vista, expliquem como e porquê gostaram do livro e acabem amigos como sempre. Ou um bocadinho mais amigos porque partilhar uma gargalhada (e este género de conversa entre 2 pessoas normais geralmente acaba em gargalhada) é o melhor caminho para fazer crescer uma amizade.

 

(sim, estou metida numa discussão porque alguém disse que o Warbreaker é “rubbish” e há pessoas super, mega ofendidas com isso. Oh gentinha mais palerma)

publicado por Patrícia às 16:57 link do post
E quando acham que não gostaste de um livro porque não o percebeste? Oh well... 
Célia a 28 de Dezembro de 2017 às 17:05
 Isso vem geralmente de pessoas que passam a vida a tentar convencer-se que são superiores aos outros. Infelizmente está na ordem do dia: "se não concordas comigo é porque és estúpido".. e como tu dizes Oh well...
Patrícia a 28 de Dezembro de 2017 às 17:30
Comigo isso aconteceu, recentemente, quando me disseram que não gostaram do livro "Em Teu Ventre", de José Luís Peixoto". Fiquei um pouco triste, pois foi o livro que enviei para o grupo do livro secreto. Acho que o meu ego iria gostar se todos dissessem maravilhas, mas, desconfio, que isso não irá acontecer. Depois enviaram-me um que eu também não gostei nada. Refleti sobre o que se passou e constatei que procurava um sentimento da infância e que o livro não me cativou por esse motivo. Portanto, acho que nem todos podemos gostar do mesmo e, por vezes, o momento não é o adequado para determinada leitura.
Edite a 29 de Dezembro de 2017 às 08:45
Eu compreendo, é muito chato quando recomendamos um livro, achando que a outra pessoa vai gostar e depois isso não acontece. As expectativas são lixadas neste tipo de coisa. 
Patrícia a 29 de Dezembro de 2017 às 10:38
O drama, a tragédia, o horror ahahah
É chato ter de ouvir alguém dizer menos bem de um livro do qual gostamos.. mas há-que saber respeitar! Mas também devo dizer... há vezes em que mais vale não ouvir os argumentos de quem não gostou, de tão medíocres que são Uma coisa é saber criticar, outra é dizer mal só porque sim, para ir contra a maré. Felizmente não é algo muito comum :) O importante é, como disseste, ficar amigos como sempre!
Mariana Leal a 29 de Dezembro de 2017 às 21:46
Olá Mariana, 
Há argumentos que dizem mais a respeito de quem os usa do que acerca do livro, não é? 
Como cada vez tenho paciência para gente parvinha (a idade trás destas coisas) cada vez menos me acontece. Geralmente gosto bastante de  trocar opiniões com pessoas que não gostaram dos livros que eu gostei, ou vice-versa, porque aprendo imenso e começo a pensar noutros pontos de vista
Boas leituras
Patrícia
Patrícia a 30 de Dezembro de 2017 às 16:58
Ui...o que já me chateei por causa disso. Têm a lata de insinuar que sou burra "porque não entendi o livro e a intenção do autor"! Confesso que já me perturbou. Quase sentia a pressão de dizer que gostei para ficar bem. Para não parecer mal. Não o faço. Felizmente que somos diferentes e que não gostamos das mesmas coisas, também no que diz respeito a livros. A vida é assim!!
Enfim...excelente post!
Um beijinho


Jardim de Mil Histórias a 4 de Janeiro de 2018 às 14:58
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana margarida de carvalho

ana saragoça

anne bishop

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mistborn

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

oathbringer

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

pot-pourri de assuntos

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

sugestões à quarta

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

virginia woolf

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO