Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

31
Ago09

As Velas ardem até ao fim, de Sándor Márai

Patrícia

Um pequeno castelo de caça na Hungria, onde outrora se celebravam elegantes saraus e cujos salões decorados ao estilo francês se enchiam da música de Chopin, mudou radicalmente de aspecto. O esplendor de então já não existe, tudo anuncia o final de uma época. Dois homens, amigos inseparáveis na juventude, sentam-se a jantar depois de quarenta anos sem se verem. Um, passou muito tempo no Extremo Oriente, o outro, ao contrário, permaneceu na sua propriedade. Mas ambos viveram à espera deste momento, pois entre eles interpõe-se um segredo de uma força singular...

“As Velas ardem até ao fim” é na verdade um tratado à Amizade, uma reflexão profunda, que levou 41 anos a completar, sobre a verdadeira amizade.
Dois velhos, uma amizade, um segredo nunca revelado, uma verdade que é preciso desvendar antes de dar por acabada a vida.
A história deste livro é muito “simples” e acaba por ser completamente secundária, porque a magia deste livro é a beleza do discurso, das palavras que nos transportam para a nossa própria vida, para as experiências que vivemos ao longo da vida. Acaba por nos fazer pensar e crescer um bocadinho.
É um daqueles livros que acho difícil catalogar. Imagino que cada um de nós o leia e apreenda de forma diferente, mas acho difícil que alguém não veja a beleza que se esconde nestas páginas.
Acho até que seria um daqueles livros que qualquer pessoa devia ser obrigada a ler.
Há alguns livros que considero “obrigatórios”, não pela escrita em si (a deste livro é excepcional) mas pelo conteúdo que nos ensina sempre qualquer coisa. Livro como o “Principezinho”, “Fernão Capelo Gaivota”, “A história da Gaivota e do gato que a ensinou a voar”, “O velho que lia romances de Amor”, “Siddartha” e agora este “As velas que ardem até ao fim” são livros intemporais e que podem ser lidos (quase) da infância à velhice e que parecem ter sido feitos de propósito para nós… sempre.

2 comentários

Comentar post