Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

12
Ago13

A Arte de Matar Dragões, de Ignacio del Valle

Patrícia


Um misto entre policial e romance histórico,em que a busca de um quadro “A arte de matar dragões” é quase uma desculpapara, por um lado, contar a história de um país dividido ao meio e por outrolado dar-nos a conhecer um personagem, Arturo Andrade que se está a tentarconciliar consigo próprio, com as suas ações, com as suas escolhas.
Digo-vos desde já que não criei uma grandeempatia com Arturo, que não o imagino herói nos próximos livros da trilogia eque não sei como é que o autor vai “descalçar a bota” que tão bem calçou nasúltimas páginas e que para mim inviabiliza os próximos livros.
Para mim este livro tem três facescompletamente diferentes.
A parte histórica, fabulosa. Infelizmente seimuito pouco da guerra civil Espanhola. Poucos intervenientes conheço, tirandoos óbvios, e por isso senti-me algumas vezes perdida e tinha que reler comcuidado determinadas passagens para não me perder e com isso perder o caminhoda história.
A ficção que envolve o quadro “A arte de matardragões”, interessante q.b. Imaginar este quadro é um exercício inevitável,assim como o é tentar perceber nas entrelinhas o que raio aconteceu. E separtes há que são óbvias outras foram, para mim, completas surpresas. E nem comas pistas óbvias que o autor deixou ao longo do livro percebi. E acreditem, étão óbvio!
Depois a parte que me deixa maisdesconfortável e que me fará não ler mais nenhum livro desta saga. ArturoAndrade, um protagonista improvável que tinha tudo para ser um herói. Um homemjovem, com uma passado misterioso, inteligente (vá, às vezes) mas que mergulhanuma espiral de loucura que me deixou um bocadinho desconfortável. Arturomergulha na busca do quadro ao mesmo tempo que mergulha na busca de um herói.De um herói que ele próprio não é, de um herói que busca ser. A solidão eamargura deste homem incomodou-me, a infantilidade (primeira face da loucura)incomodou-me e nem sequer falo do final.
Se gostei? Sim, gostei deste livro estranho. Masfoi um livro que me deixou desconfortável.

4 comentários

Comentar post