Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ler por aí

Ler por aí

17
Set11

Dia 37 – Livro para os dias chuvosos, 45 Days Book Challenge

Patrícia
Não acho que haja livros para dias chuvosos no sentido meteorológico da coisa. Mas tomo a liberdade de interpretar estes dias chuvosos como os “meus” dias negros e aí sim posso dizer que há livros que me fazem sentir melhor, que me ajudam a esquecer a realidade. Quando estou em baixo, de birra, preocupada, chateada nada como um bom livro de fantasia para me fazer mergulhar num outro mundo e emergir um pouco melhor. Um livro demasiado sério ou triste deixa-me ainda mais deprimida.
14
Set11

...

Patrícia
Na sequência do post “uma ajudinha please” quero agradecer as sugestões (aqui e no facebook pelo grupo do 45 Days Book Challenge). Achei muito interessante que boa parte das sugestões sejam de livros que eu já li e, sem excepção, de que gostei. Poucos têm opinião aqui no blog porque na altura em que os li este ainda não existia. Falo de “O mundo de Sofia”, “Uma companhia de estranhos”, “o último acto em Lisboa” e Marina (este li há pouco tempo e a minha opinião está aqui).
Em relação aos livros de Robert Wilson, Uma companhia de estranhos e O último acto em Lisboa, devo dizer que são 2 dos meus livros preferidos e são sempre aqueles que me servem de bitola para os romances (ou thrillers) sobre Portugal na Segunda Grande Guerra. Invariavelmente os outros livros perdem (como aconteceu com o “Enquanto Salazar dormia” de Domingos Amaral, que comparado com o “uma companhia de estranhos” não tem ponta por onde se lhe pegue).
Tenho que ver se os releio para pôr aqui no blog uma opinião não baseada apenas na memória e em opiniões passadas.
No post pedia sugestões de bons livros de fantasia, com excepção para tudo o que envolvesse vampiros. Estou a gostar bastante do livro da Lídia Jorge (Combateremos a Sombra) mas não é um livro fácil o que implica lê-lo com atenção e concentração, coisas que não ando a ter em tempo suficiente pelo que me apetecia pegar em algo fácil, não real, que me dê alguns momentos de ausência do meu mundo. Ontem, quando fazia compras no supermercado e me preparava para fugir do espaço dos livros (tenho livros em quantidade suficiente por ler em casa) vi, assim pelo cantinho do olho, que tinha saído o segundo volume da trilogia do Paul Hoffman e que o primeiro o “O braço esquerdo de deus”, que tem uma capa magnifica, estava com 40% de desconto.
Acabei por trazê-lo e quebrar 2 “regras” minhas: não comprar trilogias (ou outras colecções) sem que todos os volumes estejam escritos e não comprar mais livros antes de ler todos que tenho lá em casa e que ainda não li. Mas pronto, já está feito e acho que me vou divertir. Não espero muito do livro. Aliás a única coisa que espero é algumas horas “fora da realidade”.

14
Set11

Dia 34 – Personagem literária secundária que merecia um livro só dela, 45 Days Book Challenge

Patrícia
Humm. Uma das coisas que adoro nos livros da Marion Zimmer Bradley é que   em quase todos os livros uma ligação (por vezes bastante ténue) a uni-los. Achei fascinante quando li “A queda da Atlântida” saber o porquê de (salvo erro) no “Circulo deBlackburn” a Truth e a Light terem-se tratado por Deoris e Domaris.
No entanto acho que é preciso um talento muito especial para fazer isto resultar, caso contrário é apenas mais do mesmo e acaba por parecer uma tentativa tola de vender mais livros à conta de uma personagem interessante.
(eu sei que na realidade não respondi à pergunta…)
13
Set11

Dia 33 – Personagem literária com a qual terias “one-night stand” , 45 Days Book Challenge

Patrícia
Não tenho one-night stands… e mesmo que tivesse não seria com uma personagem de um livro. Não sou assim tão chanfrada.

One-night stand. Não compreendo este conceito. Sexo por sexo não é coisa que me agrade. Consigo compreender perfeitamente a atracção que faz com que duas pessoas se enrolem num primeiro encontro. O que não percebo é que algo dessa magnitude não leve a um telefonema no dia seguinte e a um outro encontro e a uma relação que, como qualquer outra, pode ser longa ou curta, dar certo ou não. Consigo compreender que a primeira relação sexual entre duas pessoas é sempre um teste e que pode correr tão mal, mas tão mal que não haja qualquer hipótese de um round 2.
Mas aqui já ultrapassamos o conceito de one night stand, o conceito de duas pessoas que se juntam para curtir um momento puramente físico. Parece que a ideia é acabar com uma comichão que nos incomoda e que é completamente vazia de sentido. Para mim não funciona.

(já vos disse que não tenho paciência para este tipo de tema?)
12
Set11

Dia 32 – Personagem literária com a qual terias uma relação amorosa estável - , 45 Days Book Challenge

Patrícia
Sou casada e mesmo se não fosse preferiria sempre uma pessoa de carne e osso.
(Mais uma pergunta para encher chouriços….)

Enquanto crianças somos formatados, pelos contos de fadas e princesas, a acreditar nos finais felizes, no "e foram felizes para sempre". Pessoalmente continuo a acreditar nisso. Acredito que se pode ser feliz para o resto da vida com a mesma pessoa, acredito no casar para sempre. E na literatura, gosto de finais felizes. Gosto de um bom romance que nos faz acreditar que é possível, que duas pessoas podem ser feitas uma para a outra. 
Estou cansada do género de romance de cordel em que o casal se define na primeira página, em que duas pessoas completamente diferentes, com valores diferentes, acabam por vencer as adversidades e ficam juntas. Mas gosto dos grandes romances mesmo quando não acabem bem. Assim de repente lembro-me da Scarlett e do  Rhett Butler, da Elizabeth e do Darcy, da Liadan e do Bran. Encantam-me os casais imperfeitos que ficam juntos por amor e força de vontade.