Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ler por aí

Ler por aí

05
Dez19

10 razões para oferecer livros neste Natal (e em todas as outras ocasiões)

Patrícia

1. Os livros são giros e ficam bem na estante. Há livros lindíssimos, edições super cuidadas e maravilhosas.

    Qualquer casa, qualquer quarto, fica mais giro com uma estante cheia de livros coloridos. E o melhor de tudo é que a desarrumação não se nota (muito) e não precisamos ter jeito para a decoração. Fica sempre bem. 

2. Os livros têm mundos dentro. E na fase em que tanto se fala de ecologia e ambiente e do quão más são as viagens de avião, é bem melhor viajar apenas dentro dum livro. Até porque é bem mais barato que oferecer um bilhete de avião, não é?

3. Pensando no ponto anterior.... aposto que a Greta tinha livros no barco. Imagem lá se a pessoa a quem vão oferecer o presente tem que passar 20 dias num barco a atravessar o Atlântico... é melhor que tenha um livro. Sim, porque ler ajuda a passar o tempo.

4. Se quiserem mesmo, mesmo, proteger as árvores e lutar contra o lobby dos eucaliptos podem sempre oferecer um livro electrónico. Ou um ereader (há uns que são um mimo)

5. Os vossos filhos/amigos são fãs de filmes e séries? Meus amigos, a maioria dos bons são baseados em livros. Ajudem-nos a tornarem-se ainda um bocadinho mais cromos sendo um daqueles que já leram os livros antes de verem as séries. Ainda por cima os livros são melhores que as séries. E isto é um facto. Perguntem a qualquer pessoa que tenha seguido a Guerra dos Tronos.

(querem fazer um brilharete? ofereçam aos miúdos o primeiro volume da magnífica série "A roda do tempo"  vai ser a próxima a estoirar. Vão por mim que sou croma)

6. Há livros para todos os preços e em todos os sítios. Podem despachar as prendas de natal numa hora de almoço, encomendando na net, numa ida ao supermercado ou até numa estação de serviço.

7. Já tentaram fazer um embrulho giro com uma camisola? ou com uma jarra? ou com uma caneca? Só uma caixa de chocolates é tão fácil de embrulhar como um livro. E os chocolates engordam. 

Mas garanto-vos que se juntarem uma caixa de chocolates ao tal livro que vão oferecer, vão tornar-se a pessoa perfeita, o tio/a fixe, o cota porreiro. 

8. Talão de oferta. Simples e eficaz. Se acharem que a pessoa pode não gostar lá muito do livro, comprem num sítio onde a troca possa ser feita por outra coisa qualquer...

9. há livros para todas as pessoas. 

Ela não gosta de ler mas gosta de cozinhar? livro de receitas

Ela é uma adolescente parva (desculpem a redundância)? ofereçam aqueles livros em branco para que a criatura possa verter as suas mágoas para o papel.

Ela/e é um adolescente com as hormonas aos saltos? oh meus amigos, parece que há aí umas graphic novels que os podem tornar leitores

(juro podia continuar eternamente, acho até que vou fazer uma rubrica só com estas parvoíces e algumas sugestões, há cada vez mais coisas giras para oferecer)

(e agora o verdadeiro propósito deste post)

10. Já viram os resultados do PISA 2018? 

Diz o expresso, ou melhor, diz o PISA:

"É o que se conclui do inquérito aplicado aos estudantes de 15 anos, com um em cada cinco (22%) a concordar com a afirmação “para mim, ler é uma perda de tempo” e quase um cada três (31%) a admitir que só leem se forem obrigados. As percentagens subiram 3 e 9 pontos percentuais entre o PISA de 2009 e o PISA de 2018, ambos centrados na literacia em leitura."

Todos temos que fazer a nossa parte. E oferecer livros, pô-los à disposição de miúdos e graúdos é fundamental. É pelo exemplo que se educa melhor.

Ler faz bem. Ler é meio caminho andado para desenvolver o espírito crítico, para saber pensar, para desenvolver a personalidade, para ser bom aluno, para tornar real o maior dos cliché "nada é impossível". 

Estes números assustam-me numa fase em que tanto se fala de "fake news", de manipulação, de pós-verdade. Miúdos poucos informados num mundo de informações dispersas. Chega a ser irónico mas tão verdadeiro.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Patrícia 30.12.2019

    Não percebo... onde estou a tapar o sol com a peneira?

    Não tenho ilusões mas sou daquelas pessoas que não subestimo os miúdos e acho que nos cabe a nós, adultos, a responsabilidade de os educar para a leitura. Cabe-nos a nós, leitores, contribuir para, dentro do nosso circulo de família e amigos, contribuir para que mais gente dê valor à cultura.

     

    E não acho que essa frase seja verdadeira: vi, ao longo da vida, imensa gente iletrada a dar valor à cultura em geral e à leitura em particular. Vi gente que nunca leu um livro oferecer livros aos filhos para que eles fossem mais longe.

    Acho bem mais perigoso a ideia de já se sabe tudo, que ler pode ser facilmente substituído para outras actividades, que escrever não é importante, que decorar a tabuada não tem vantagens das pessoas que, tendo acesso à educação e à cultura a desprezam.

  • Sem imagem de perfil

    Seve 30.12.2019

    Mas ó Patrícia errei muito quando disse que só um em cada mil portugueses lêem? Talvez até tivesse sido demasiado optimista. É o que me parece. Estarei errado? Era bom que o estivesse.
  • Imagem de perfil

    Patrícia 31.12.2019

    Não acho que tenhas errado e até acho que estás a ser optimista mas isso não invalida nada do que eu disse, nem no comentário nem no post.


    Olha, boas leituras e um excelente 2020
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.