Ler por aí
 
17 de Julho de 2013



A rubrica Top Ten Tuesday  originalmente publicada no blog The Broke and the Bookish

Tenho visto esta rubrica em vários blogs e fiquei interessada no tema desta semana. Autores que merecem mais reconhecimento. Resolvi roubar-lhes a ideia e fazer também a minha lista.

Sem nenhuma ordem especial, cá vai:

Rosa Lobato de Faria - Já li vários livros desta escritora e não deixo de me encantar cada vez que pego num livro dela. Confesso-me preconceituosa e a verdade é que, durante muitos anos, a considerei uma menos escritora de novelas e músicas dos festivais. Afinal escreveu livros deliciosos e que me encantaram. Destaco a historia de Diamantina no Os Pássaros de Seda. São livros que se leem muito rapidamente, extremamente simples mas que me deixam sempre de bem com a vida. Nada como uma história bem contada. E a Rosa Lobato de Faria sabia contar uma história.

Trudi Canavan - A The Black Magician Trilogy foi uma óptima surpresa. Adoraria ter lido os livros dela bem mais cedo. Acho que podem ser uma óptima alternativa para quem é fã de Harry Potter. À Trudi falta-lhe a publicidade, acho eu. 

David Soares - Não é um autor de consensos. É difícil de ler por vários motivos: a utilização de palavras ...vá, difíceis, o tom negro das histórias, o facto de ser um escritor do Fantástico mas diferente. Mas continuo a gostar e a achar que é um autor que merece ser lido. Gostei bastante do Evangelho do Enforcado.

Júlia Navarro - Amei o "A Bíblia de Barro" que comprei porque achei o título bonito. um impulso que me fez fã da escritora. Dela li todos os editados em Portugal. O último livro desta escritora espanhola é o "Diz-me quem sou" que não é tão bom como os outros mas que também vale a pena ler. Ainda hei-de reler o A bíblia de barro só para escrever um post que lhe faça jus.

Robert Wilson - Acho deveras que o escritor do "O último acto em Lisboa" merecia ser mais lido. Gosto especialmente dos seus livros sobre o nosso país (O último acto em Lisboa e o Uma companhia de estranhos). Quem gosta de policiais históricos não deve deixar de ler. 

Mário Zambujal - Também, tal como com a Rosa Lobato de Faria, me convenci de que não iria gostar dos livros deste escritor. Tola que fui. Foi divertidíssimo ler este Dama de espadas (crónicas dos Loucos amantes)

Lídia Jorge - Gosto. A autora é amorosa e escreve muito bem. Gostei do "O vento assobiando nas gruas" (adoro o título) e do "Combateremos a sombra". Tenho ainda vários livros da escritora para ler, é uma vergonha nunca ter lido o "A costa dos murmúrios" por exemplo.

Frank McCourt - Um homem como uma história de vida fantástica que escreve na primeira pessoa. As Cinzas de Angela encantaram-me e o "Esta é a minha terra" conquistaram-me definitivamente.

Hoje fico-me pelos 8 escritores que mereciam mais reconhecimento mas seria tão fácil escolher muitos mais. Principalmente escritores Portugueses que escrevem tão bem mas que são tão pouco lidos. E na verdade mereciam muito mais reconhecimento.


publicado por Patrícia às 23:44 link do post
Dos autores discriminados, só li Rosa Lobato Faria e concordo plenamente. Do Frank McCourt tenho cá os dois livros que referiste, apesar das Cinzas de Angela ser em Inglês.
Já à muitos anos que estou para ler a Biblia de Barro mas como as opiniões que tenho lido são são contorversas não me arrisquei ainda a comprar. Tenho um voucher para livros e Diz-me quem sou está no catalogo. Se calhar vou optar por esse.
Landa a 18 de Julho de 2013 às 12:48
Dos autores que referes, só li David Soares, Robert Wilson, Lídia Jorge e Frank McCourt.
- David Soares gosto bastante, como sabes;
- do Robert Wilson li "O Cego de Sevilha" e apesar de ter gostado estava à espera de outra coisa;
- da Lídia Jorge li "O Vento Assobiando nas Gruas" e não me cativou (apesar de também adorar o título);
- do Frank McCourt li um livro autobiográfico, "O Professor", que fala precisamente sobre a profissão e as suas ideias sobre ela - também gostei bastante.

Todos outros tenho vontade de experimentar ;)
Célia a 18 de Julho de 2013 às 15:39
Eu não gostei tanto do "Diz-me quem sou" como dos outros da escritora (um dos personagens buliu-me com os nervos. Eu acho que devias começar com o a bíblia de barro.
Patrícia a 18 de Julho de 2013 às 16:27
Do Robert Wilson tens que ler o "O último acto em Lisboa". É brutal. Esse e o "uma companhia de estranhos dão 10 a 0 ao "O cego de Sevilha" (se quiseres um empréstimo é questão de combinarmos).
O "O professor" é o terceiro livro do Frank McCourt. Os que falo no post são os dois primeiros. Só me falta ler esse.
Patrícia a 18 de Julho de 2013 às 16:30
Anotei os títulos. E obrigado pela oferta, se me decidir a lê-los depois falamos ;)
Célia a 18 de Julho de 2013 às 17:44
Estou a ler Trudi Canavan e concordo com o que dizes sobre ela. Apesar de achar que o ritmo nem sempre é o melhor, engonha um pouco nalgumas partes o que acaba por tornar alguns capítulos aborrecidos, ela escreve bem e o seu worldbuilding é fenomenal.

Os outros autores ainda não li mas tenho livros deles na minha wishlist. O Frank McCourt deve ser o que há mais anos tem um livro na minha wishlist. Adorei o filme As Cinzas de Ângela, adorei tanto que tenho medo de comprar e ler o livro. :P
WhiteLady3 a 21 de Julho de 2013 às 14:06
Conheço a maioria desses autores e não tenho a melhor opinião sobre alguns deles nomeadamente a Júlia Navarro cujo livro A bíblia de barro é de uma pobreza atroz ou o Combateremos a Sombra da Lídia Jorge que é demasiado fraquinho e repleto de lugares-comuns. Já o Robert Wilson (dentro do seu estilo não é mau) ou o Mário Zambujal (A crónica dos bons malandros deve ser um dos livros mais lidos em Portugal) não são propriamente escritores desconhecidos.
Filipe de Arede Nunes a 22 de Julho de 2013 às 11:25
Acho que vais gostar do livro "As cinzas de Ângela". Eu ainda não vi o filme.

E tens razão em relação à Trudi, há realmente alguns partes que são demasiado enroaldas, mas no geral gosto.
:)
Patrícia a 22 de Julho de 2013 às 13:38
Oh Filipe, de facto não temos os mesmos gostos. Não acho nada o "A bíblia de barro" de uma pobreza atroz. É certo que já o li há uns aninhos mas tenho óptimas recordações do livro. E gostei do "Combateremos a sombra" da Lídia Jorge.
Nenhum destes escritores é desconhecido mas acho que podiam ser ainda mais conhecidos.
Todas as opiniões que constam deste blog são pessoais e como tal falta-lhes o distanciamento necessário para serem levadas muito a sério. Não tenho qualquer pretensão de fazer critica literária e sou de opiniões a quente, amor e ódio repentino. Uma das coisas boas de ter um blog é precisamente a partilha de opiniões e a descoberta de novos estilos e livros. Por isso, e porque tem uma opinião tão diferente da minha em relação aos escritores que merecem reconhecimento convido-o a partilhar comigo/connosco a sua opinião relativamente a este tema. Se estiver disponível para tal, envie-me um email e publico aqui no blog a sua versão do "10 Autores que merecem mais reconhecimento".
Boas leituras :)
Patrícia a 22 de Julho de 2013 às 13:47
Patrícia,

O meu comentário não era um exercício de crítica antes uma contraposição de opiniões. Certamente que os gostos são diferentes - esta será sem dúvida uma das problemáticas mais discutidas entre os blogues de livros - mas eu não estou a questionar os gostos. Não duvido de que tenhas gostado dos dois livros que indiquei - nem viria aqui criticar esse gosto - o que escrevi é diferente: quer um quer outro - poderíamos depois discutir o porquê - são, e na minha mera opinião de um simples leitor (também não sou crítico literário nem tenho pretensão a sê-lo), livros muito fraquinhos. O livro da Júlia Navarro, obra relativamente à qual tenho lido na blogosfera das melhores críticas, é um livro muito pobre desde o enredo à construção das personagens (será que se pode falar mesmo em construção de personagens?!), passando pelo estilo de escrita.

Com isto tudo Patrícia, não pretendia de nenhuma forma ofender-te. Se o fiz, desde já peço que me perdoes.
Filipe de Arede Nunes a 22 de Julho de 2013 às 15:57
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO