Ler por aí
 
14 de Maio de 2013



Das várias entrevistas da Liliana que já umadas frases que recordo é o ela “ter ido para casa escrever o livro que querialer”. Lembrei-me disto várias vezes ao longo da leitura do “inverno deSombras”. É engraçado como consigo ver precisamente isto neste livro. O livro,uma história que nos deixa completamente confortáveis.  Acredito que este livro tem grande potencialpara se tornar um guilty pleasure de muita gente.
Li o Inverno de sombras porque, como já disseem posts anteriores, admiro o trabalho e o esforço da Liliana para publicar eser publicada. Admiro a tenacidade dela e o amor pela escrita que se sente aolongo de todo o livro. Até me posso enganar, mas quer-me parecer que ela sedivertiu bastante a escrever a história de Danton e Isadora. E isso é muitoimportante.
Confesso que gostaria que este tivesse sido umlivro de mais mistério tal como o início prometia mas na realidade acabou porser uma história de amor. Para um livro com cerca de 600 páginas o romancedeles dois teve um destaque superior ao que eu gostaria que tivesse tido.Gostaria de ter visto mais desenvolvida a história de Anne e Garret, porexemplo. Ou mesmo da Andrea (sim, eu sei que essa fica para mais tarde),personagem com um potencial incrível. Os diários de Garret podiam ter sido maisdesenvolvidos e ter-nos contado mais da história da Caixa e da Chave, porexemplo.
Na realidade a minha recém fobia aos romancesmelosos faz-me ser um bocadinho injusta para com este livro. Tenho a certezaque há uns anos atrás teria gostado ainda mais. Até já sei a quem vou oferecereste livro J. Mas gostei bastante de alguns saltos que a história deu. Apesar da previsibilidade (após um certo ponto) da história principal houve muitas surpresas ao longo das páginas.
Um ponto positivo (as que pode custar caro aosescritores) é que a ação se passa em sítios que tão bem conhecemos, na nossaLisboa, na ruas de calçada Portuguesa, na baixa, no Chiado, no Tejo. Gostei daParis negra que a autora nos mostrou. Os vilões são interessantes. Gostaria deter conhecido melhor os pais de Danton.
Assim, se gostam de uma boa história de amor,de guerras familiares, de seres do fantástico (posso dizer que este livro é defantasia urbana, certo), então força, têm um óptimo livro para os fazercompanhia por umas horas.
Liliana, parabéns J
publicado por Patrícia às 16:34 link do post
23 de Abril de 2013

No dia mundial do livro nada melhor que contar-vos que ontem cheguei a casa e tinha um postal da Liliana? E mais uma vez reforço que esta escritora tem feito um trabalho muito interessante de divulgação do seu livro. :)
Liliana, Obrigada.
publicado por Patrícia às 11:38 link do post
12 de Abril de 2013

Istodos blogs é uma coisa engraçada porque às tantas passamos a “conhecer” pessoasque nunca vimos “ao vivo e a cores”. Lemos os blogs, criamos uma imagem dapessoa, trocamos emails e subitamente passam a ser reais.
Umdestes exemplos é a Liliana, a menina que escreve o Neuroses da Escrita 2.0 e oA ler desde 1500 e que é um exemplo para os aspirantes aescritores. Pelo que me fui apercebendo a Liliana arranjou leitores-beta paralhe apontarem críticas, aceitou-as e evoluiu. Publicou ebooks (Inverno deSombras e Inverso) e agora conseguiu que um dos seus livros fosse editado por cá.
Temsido engraçado acompanhar a aventura da Liliana através do seu blog. Acabamospor torcer por ela.
Háuns dias recebi um email da Liliana a perguntar-me se me importava de divulgaro livro no blog. Na altura respondi-lhe que sim, que o ia fazer mas que iaesperar umas semanas porque todos os dias via posts a divulgar o livro e maisum não ia fazer qualquer diferença.
Mashoje vi o livro  Inverno de Sombras à venda. Aqui mesmo no aeroporto, prontinho para viajarpara qualquer lado do mundo. E confesso que, apesar de não conhecer a Liliana,senti um certo orgulho.
E mesmo não fazendo divulgações abrouma excepção para falar deste livro.
Quandotiver oportunidade de ler o livro voltarei a falar-vos dele, para já deixo-vosesta foto do livro (que tem um aspecto bem engraçado, por acaso):
 
publicado por Patrícia às 14:36 link do post
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO