Ler por aí
 
20 de Março de 2015

 
Raras vezes um livro me deixa com sentimentos tãocontraditórios como este “se nos encontrarmos de novo”.
Não conhecia esta escritora e foi (mais uma vez) através daRoda dos Livros que este livro me veio parar às mãos. Extremamente bemrecomendado, as expectativas eram altas.
A verdade é li metade do livro de uma assentada. O início éfenomenal e agarrou-me completamente. É um texto cheio de sentimento e acima detudo sobre sentimentos. Enaltecer o Amor, a saudade e a perda não está aoalcance de todos. Fazê-lo com uma escrita deliciosa e intimista ainda menos.Ana Teresa Pereira conseguiu-o. Por isso aconselho esta leitura sem reservas.
O meu problema foi a segunda metade do livro, a que li maistarde, já sem a surpresa que me proporcionou uma leitura empolgante. Boa partedo interesse do livro está nas constantes citações, referências e ligações àliteratura, à pintura, à arte em geral. Iris Murdoch, Piet Mondrian e William Turnersão apenas alguns dos artistas constantemente presentes. Mas não há uma citaçãotraduzida. Para mim, que sou fluente em inglês, isto não é preocupante. Mas nãoconsigo deixar de me incomodar com a absoluta falta de respeito pelos leitoresPortugueses que não compreendem inglês e que por isso não irão compreender asreferências. Não há uma nota de rodapé com a tradução. Este livro merece ser livroe relido de uma assentada, esta leitura não se coaduna com paragens para ir aodicionário nem para grandes buscas na internet. É certo que após a leitura fuiver/rever as obras mencionadas mas durante a leitura queria era continuar aler. Talvez este seja um problema da editora e não da escritora, da revisão enão da escrita mas ainda assim acho de uma falta de respeito pelos leitores queme irritou um bocado.
Por outro lado adorei a estrutura do livro. Uma históriacontada a duas vozes, sem nunca perder o interesse. Duas vozes tão diferentesmas que brilham ainda mais juntas. Byrne e Ashley, duas almas que partilhammomentos, sentimentos, vidas que se cruzam. Byrne, Ashley, Rose, Tom e Ed,todos com tonalidades diferentes a criar imagens à medida que a escrita de AnaTeresa Pereira me conquista.
publicado por Patrícia às 13:10 link do post
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO