Ler por aí
 
02 de Setembro de 2010


Tenho estado de férias e as leituras têm sido poucas. Uns jornais e pouco mais. A isso ajudou o facto de ter escolhido para livro de férias o "Arquipélago da insónia" de António Lobo Antunes. Achava eu ter uma grave lacuna enquanto leitora por nunca ter lido nada do senhor. Mudei de opinião. Sim, porque continuo a não ter lido nenhum livro do senhor. Para compensar li 3 vezes o primeiro capítulo e senti-me burra. Não há outra palavra para descrever o que senti ao ler "aquilo".
Tal como o Saramago, António Lobo Antunes parece pertencer ao grupo de escritores autorizados escrever com uma certa liberdade literária. Ao contrário do que acontece com Saramago, é difícil perceber o que este escreve. As frases fazem pausa numa determinada linha para voltar a dar um ar de sua graça no parágrafo seguinte. Ou então desaparecem para sempre (ou eu não consegui encontrar o seguimento).

Acredito, dado o facto deste ser um conceituado escritor, que o problema seja meu. Não faço parte da elite que lê, gosta e, principalmente, percebe os livros do senhor.

Então resolvi ler o Marina, de Carlos Ruiz Zafón. É em espanhol, mas percebo-o muito melhor.

publicado por Patrícia às 22:12 link do post
Um dia espero ver aqui a crítica ao Rafeiro! E não como literarura de WC! ;)

Beijoca!
Rafeiro Perfumado a 3 de Setembro de 2010 às 11:09
ahah Gostei da frase final! :) Também eu me sinto burra a ler Lobo Antunes. No entanto já me disseram para não ligar à história e "saborear" a beleza das palavras... Neste momento não sei ler assim, talvez um dia mais tarde. :)
N. Martins a 6 de Setembro de 2010 às 22:46
Patrícia compreendo a tua insatisfação, pois realmente Lobo Antunes não é um autor fácil. Saramago é o meu autor de eleição e posso dizer que são bem diferentes! Não tem nada a ver!
Por acaso este livro que referes foi o primeiro e único que li do autor (deixo aqui a minha opinião http://tonsdeazul.blogspot.com/2009/03/ha-momentos-em-que-me-sinto-tao-so.html), mas pretendo ler mais.
Já as partes que estão cortadas na história e que não têm ligação, é porque o autor tentou colocar-se na pele de um autista, pois nas duas primeiras partes do livro quem nos está a contar a história é um autista, o tal a quem chamam o "Idiota".
Aproveito ainda para referir que um autor deve ter liberdade para criar a sua própria forma de escrever e não ficar cingido a regras. Pois aí também reside a beleza da escrita. Poder construir estórias tal como as vêem nas suas cabeças!
Quanto a Zafón é um autor que também aprecio desde que li A Sombra do Vento.
Boas leituras!
tonsdeazul a 7 de Setembro de 2010 às 11:19
Nunca li nenhum livro de António Lobo Antunes, mas pelo que referes aqui deve ser uma escrita de leitura difícil. Quanto a Saramago, apesar de ser um pouco complicado de ler ao início, depois habituamo-nos e adaptamo-nos ao estilo. Pelo menos foi o que aconteceu comigo.

Gostei do blog, demonstra um enorme gosto pela literatura.
Patrícia a 7 de Setembro de 2010 às 13:11
Rafeiro, fica prometido uma critica impiedosa. :)

N. Martins. Juro que vou tentar saborear a beleza das palavras e depois digo se vale a pena :),

Tons de azul, Obrigada pela explicação. Isso pode, de facto, explicar muita coisa e ajudar-me a conseguir ler o livro. É que não gosto nada de desistir a meio. O "Marina" é bem diferente do "A Sombra do vento", até porque é anterior a esse, juvenil e um pouco mais dark. Mas é bem giro e para alguém que, como eu, está a dar os primeiros passos no espanhol, o ideal.

Patrícia, Obrigada pela visita. Não deixes que uma opinião minha te faça desistir de ler um autor. :) depois vem é contar-me o que achaste.

boas leituras
Patrícia a 9 de Setembro de 2010 às 12:24
Bem agora deixaste-me curiosa, Patrícia! Pois não imaginava que este fosse anterior ao de "A Sombra do Vento"!! Vou ficar a aguardar a tua opinião. ;)

Ah! Desculpa, mas reparei agora ao ler o meu comentário, que me enganei. O autista não era o "Idiota", mas sim o Jaime. O "Idiota" era sim o irmão de Jaime.
tonsdeazul a 9 de Setembro de 2010 às 14:09
Claro. Está na minha lista dos livros a ler :)
Patrícia a 10 de Setembro de 2010 às 20:16
Patrícia,


Apesar de este ser já um post antigo, não pude deixar de comentar.

António Lobo Antunes é para mim um fenómeno! Não consigo explicar. Penso que o segredo está em não desistir. Deixar flutuar a leitura e apanhar o que se consegue.

Compreendo a sua sensação, por momentos já senti o mesmo. Acredite que aquela escrita é bem real, e mais dia menos dia depara-se com uma situação na sua vida e atreve-se a pensar: "será possível que era isto que aquele tipo estava a querer dizer??"

Por último faço um convite para que leia 2 pequenas recensões que fiz sobre obras do autor:
http://conspiracaodasletras.blogspot.com/search/label/Ant%C3%B3nio%20Lobo%20Antunes

Espero conseguir com isto que pelo menos volte a tentar...

Continuação de boas letras...
Marco Caetano a 7 de Abril de 2011 às 23:25
Olá Marco,
Claro que não irei deistir de ler António Lobo Antunes. Não sei é quando vou ter a capacidade de ler um livro dele inteiro.... mas é uma questão de tempo :)
Boas leituras
Patrícia a 8 de Abril de 2011 às 10:45
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO