Ler por aí
 
30 de Dezembro de 2014



Parte 1 (28/12/2014)

Será que uma boa ideia e uma escrita exemplar são suficientes para escrever um bom livro? Até ter começado a ler este livro diria que sim. A premissa de que "afinal a prisão é um bom lugar para se estar, casa cama e roupa lavada e a total ausência de responsabilidade no que se refere a contas para pagar, impostos e pensão de alimentos" é, de facto genial. E a escrita do escritor é irrepreensível.
Mas então porque me custou tanto ler esta primeira parte deste livro? Depois do primeiro contacto com a ideia, prefiro não a esmiuçar página sim, página não. A sério, torna-se irritante estar sempre a ler a mesma ideia escrita de formas diferentes... ou mesmo iguais. Foi um exercício de perseverança, paciência e teimosia literária continuar a este livro.

Uma nota para as histórias dentro da história: fascinantes. Foram mesmo o que salvou esta parte.

A questão é mesmo: será que compensa?

Parte 2 (29/12/2014 22:15 mais minuto menos minuto)

Surpreendentemente fiquei fascinada pela autobiografia de uma celebridade instantânea morta. E como a escrita continua interessante li num ápice esta parte do livro. Afinal a morta é muito mais interessante que o suposto assassino confesso que adora estar preso e que na verdade não tem a certeza de ter  assassinado a miúda.

Afinal quem raios matou a desgraçada?

*** Spoiler alert - vá, quem não leu vá-se embora, volte depois, não me digam que não avisei)

Parte 3 (29/12/2015 23:56)

Raisparta estes escritores e os seus fins em aberto que me deixam sempre com vontade de estrangular alguém. Tenho este defeito de gostar de ler uma história bem contada. Sei lá, devo ser demasiado preguiçosa para me pôr a imaginar finais e de destrinçar a verdade da mentira. Os personagens são vossos, a história é vossa, a verdade é vossa e eu é que tenho de saber o que raio se passou? 

Esta última parte do livro foi lida de uma assentada, comigo a ter mil ideias acerca do que se tinha passado, a ler nas entrelinhas, a construir e a desconstruir teorias e cenários.

Depois de quase ter desistido na primeira parte, completamente farta daquela repetição de ideias que me estava a dar cabo dos nervos, fui completamente conquistada nas segunda e terceira partes. Deixei-me enredar nesta história, li cada frase com calma, sorri (ou limitei-me a acenar e a concordar) com as reflexões tão atuais e tão bem escritas, entusiasmei-me e elevei expectativas à espera de uma revelação, de uma reviravolta qualquer que fizesse tudo ter sentido e desiludi-me novamente num final morno, filosófico e abrupto que não me conseguiu convencer (juro que estava quase à espera que o jornalista descobrisse o assassino e batesse as botas com um sorriso irónico).
Este género de final está cada vez mais na moda, talvez por envolver o leitor e dar-lhe alguma importância e certa uma sensação de inteligência. A mim não me agrada por aí além. Nunca me sinto dona das histórias e neste caso sinto-me até excluída. Há sempre a possibilidade de ter perdido algumas coisas ali pelo meio e de toda a gente, menos eu, ter percebido tudo (e não me venham, por favor com a teoria de que ninguém existia realmente, de que eram personagens dentro das histórias ou de que o importante é tudo o resto, todas as ideias giras mas soltas, ok?).

Em resumo: gostei mas...

Nota: isto foi mesmo escrito aos bocadinhos depois de cada parte do livro o que torna esta opinião um bocadinho "esquizofrénica" mas foi mesmo assim que me senti enquanto li este livro. E que, como sempre, pretende apenas transmitir a minha opinião "a quente" da forma mais honesta possível.
E apenas uma correcção em relação ao que escrevi no início: não é "uma boa ideia e uma escrita exemplar"... são "muitas ideias fantásticas e uma escrita exemplar" que realmente salvam o livro. 


publicado por Patrícia às 00:39 link do post
Epa, fiquei com vontade... e se calhar vou saltar a primeira parte! :-P
cafesnopateo a 30 de Dezembro de 2014 às 14:19
O gato vem incluído? :)
Fuschia a 31 de Dezembro de 2014 às 10:34
Olá!

Este é um livro (e um autor) que vou mesmo ler em 2015!
Por isso só li metade da opinião. Depois volto para ler o resto! :)

Bom ano e boas leituras!
Isaura Pereira a 31 de Dezembro de 2014 às 15:07
Não saltes :) e olha que talvez gostes. A primeira parte é a favorita de muita gente. :)
Patrícia C. a 31 de Dezembro de 2014 às 18:51
hummm acho que não :) mas olha que é uma óptima companhia quando estou a ler um livro.
Patrícia C. a 31 de Dezembro de 2014 às 18:52
Vou ficar à espera da tua opinião :) depois vem cá contar-me, ok? Boas leituras e um óptimo 2015
Patrícia C. a 31 de Dezembro de 2014 às 18:53
Olá Patrícia!

Mais um livro que também tenho aqui para ler.
Vou voltar para ler, depois, a segunda parte :)

Beijinhos e boas leituras
Denise a 2 de Janeiro de 2015 às 12:03
Venho sim :)

Obrigada e igualmente!

Beijinhos
Isaura Pereira a 3 de Janeiro de 2015 às 22:42
E eu vou ficar à espera da opinião.
Boas leituras
Patrícia C. a 4 de Janeiro de 2015 às 11:06
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO