Ler por aí
 
07 de Abril de 2013

No ano passado quando li o "A máquina de fazer espanhóis" rendi-me a valter hugo mãe, o homem das minúsculas. Considerei-o na altura (a continuo com a mesma opinião) um dos meus "livros do ano". Por isso, assim que tive oportunidade, comprei o "O remorso de Baltazar Serapião" à espera de ser novamente encantada. 
As expectativas eram altas. 
De início voltei a sentir as mesmas dificuldades com a ausência de Maiúsculas. Lamento, sinto-lhes a falta. E acho mesmo que a sua ausência causa dificuldades à leitura. Quando li o "A máquina de fazer espanhóis" abstraí-me rapidamente desta característica de Valter Hugo Mãe. Acho que tece a ver com o interesse da estória.
Desta vez e nesta primeira metade do livro que já li senti a ausência de cada maiúscula. Senti a estranheza da escrita. E apesar desta estar ligada à forma como a estória de Baltazar está a ser contada não me convence nem agrada. 
Tenho muitas vezes que voltar a trás e reler parágrafos inteiros para perceber. Tenho que me ouvir a ler para entender. E se isso pode ter a ver exclusivamente com incapacidade minha, pode também significar um excesso. Considerando a quantidade de criticas positivas que este livro teve, inclino-me para a primeira opção e Valter Hugo Mãe entra para o grupo de escritores que está para além da minha capacidade (não me parece que ele se chateasse por ouvir isto considerando que o outro ilustre membro é o António Lobo Antunes e o seu "Arquipélago da insónia").
Mas tenho também a percepção que a minha resistência a este livro está ligada à estória. Brutalmente, bestialmente chocante. É impossível criar empatia com qualquer personagem e é-me impossivel sentir senão nojo e ódio por Baltazar. Como disse antes estou a meio do livro e vou acabar de o ler mas a frustração levou-me a vir, pela primeira vez acho, escrever antes do fim. 
publicado por Patrícia às 21:06 link do post
Muitas pessoas me têm dito, de facto, que acabam por abandonar Lobo Antunes ou Valter Hugo Mãe por acharem a sua escrita difícil. Fico um bocadinho desiludido porque são dois dos meus escritores preferidos. No entanto, o facto de eu gostar de os ler não quer dizer que eu seja mais inteligente ou com capacidades diferentes. A meu ver, a diferença, cara Patrícia, está na perspetiva com que se lê. A mim também é difícil entender tudo o que Lobo Antunes diz; mas acho que o que devemos fazer é provisoriamente abandonar essa vontade de entender tudo logo que lemos; o que eu aconselho às pessoas é que deixem correr a leitura, que apreciem apenas a beleza da escrita, como se fosse poesia. Entender a narrativa não é o mais importante.
Mas no caso de Valter Hugo parece que há outro problema: é que é mesmo IMPOSSÍVEL gostar de Baltasar. Ele é horrível enquanto personagem. Mas há que atender ao contexto histórico; houve épocas em que a realidade era aquela mesmo, por mais que nos custe...
Manuel Cardoso a 7 de Abril de 2013 às 21:55
E a minha desilusão por não ter conseguido ler o "arquipélago da insónia"? http://ler-por-ai.blogspot.pt/2010/09/os-livros-das-ferias.html
Quanto a VHM, eu adorei o "A máquina de fazer espanhóis" e a sua forma de escrever não me incomodou por aí além. Mas neste é diferente e a beleza da escrita perde-se na negritude da história.
E mesmo considerando o contexto histórico... tirar olhos? a sério? Parece-me excessivo, mesmo considerando que historicamente as mulheres eram tratadas abaixo de cão. Neste livro as mulheres não existem, simplesmente.
Mas este livro vou acabar de ler e depois venho cá contar o que achei.
Patrícia a 8 de Abril de 2013 às 11:34
de VHM, apenas li este livro e confesso que gostei mesmo muito, também um pouco ao contrário do que estava à espera. Inicialmente estranhei também a falta de pontuação, sobretudo as virgulas, mas esse pormenor que é essencial, foi-se tornando por incrível que pareça muito fácil de contornar. Gostei mesmo muito deste livro. Do autor, quero ler "O Nosso Reino" irei fazê-lo em breve.

Opinião sobre: O Remorso de Baltazar Serapião
http://nososlivros.wordpress.com/2011/10/23/o-remorso-de-baltazar-serapiao-valter-hugo-mae/
nuno chaves a 8 de Abril de 2013 às 12:43
Olá Patricia,
Tenho em casa para ler a máquina de fazer espanhois, mas agora fiquei "receosa" de iniciar a leitura.:)
Estou a terminar a Vida de Pi, mas não estou adorar, gostei da 1ª parte, a 2ª estou a fazer um esforço para não deixar a leitura a meio.
Bjs
Dulce Barbosa
Dulce a 8 de Abril de 2013 às 13:35
tb nunca li Valter Hugo Mae, mas espero um dia vir a fazê-lo.
quanto ao Lobo Antunes, aqui fica a minha modesta opinião. O problema de lobo Antunes é que não escreve de forma linear. qq escritor começa uma história em A para chegar a Z; claro que alguns escritores começam em C e voltam para trás para depois ir para a frente. Lobo Antunes faz uma zig-zag por aquilo que é o esquema normal das coisas. Ele diz numa linha que nasce uma criança para a seguir dizer que essa criança morreu na guerra, por vezes pelo meio ainda diz que amou a vizinha, mas antes foi caixeiro viajante, tudo de uma forma desordenada e confusa.
O lobo Antunes, talvez pela sua formação despeja a historia e o plano da acção é mais mental do que físico.
Outro conselho é ler desde o inicio e não começar com um livro qq. os primeiros não são tão confusos ainda são mais ou menos ordenados. E assim habituaste ao esquema :)e mais importante é deixar de lado a vontade de compreender e apenas apreciar. Eu já li até ao Fado Alexandrino, aqui abandonei e acho que não entendi, mas gostei mt do que li porque ele diz umas coisa que ficam no pensamento.
Madrigal a 8 de Abril de 2013 às 14:27
Eu já tinha lido a tua opinião, estava à espera de acabar de ler para comentar. Põe tb na lista o "A máquina de fazer espanhóis". Não me farto de lhe fazer publicidade. Adorei.
mas estou a ter imensa dificuldade neste.
Patrícia a 8 de Abril de 2013 às 14:34
Eu adorei as duas primeiras partes do "A vida de Pi". Não tenhas medo de ler o "A máquina de fazer espanhóis". É muito bom, eu adorei, lê-se bem.
Patrícia a 8 de Abril de 2013 às 14:38
Madrigal, do ALA eu comecei com um em que a personagem principal -e a história é a sua visão - é autista. Não percebi um "boi" daquilo. Enfim, tenho que tentar noutro livro.
Lê VHM que vale a pena mas não comeces pelo "remorso de baltazar serapião" (sim, estou traumatizada :) )
Patrícia a 8 de Abril de 2013 às 14:41
Sem dúvida, Madrigal, mas há outra razão para esse ziguezaguear; é que a escrita de ALA pretende imitar o nosso pensamento. Ninguém tem um pensamento linear; todos misturamos pensamentos e misturamos tempos diversos, não é?
Manuel Cardoso a 8 de Abril de 2013 às 16:14
Quase que me convences Manuel Cardoso! LOL À 4 anos anos que quase me convences!!!
p.s. Continuo à espera da tua visita... ainda não se paga no PaP :D (por enquanto)
nuno chaves a 8 de Abril de 2013 às 18:47
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO