Ler por aí
 
21 de Janeiro de 2011


Ele conhece-a há uma eternidade e, contudo, ela nunca o viu. É como se fosse invisível para a mulher que ama. Mas ele vê-a a ela: o cabelo; a boca; o rosto pequeno e pálido; o casaco vermelho-vivo na neblina matinal, como algo saído de um conto de fadas.

Até agora, ele nunca se apaixonou. Assusta-o um pouco: a intensidade dessa emoção, a maneira como o rosto dela se intromete nos seus pensamentos, a maneira como os seus dedos traçam o nome dela, a maneira como tudo, de algum modo, conspira para que ela nunca lhe saia da cabeça…

Ela não sabe de nada, claro. Tem um ar muito inocente, com o seu casaco vermelho e o seu cesto. Mas por vezes os maus não se vestem de preto e por vezes uma menina perdida na floresta é bem capaz de fazer frente ao lobo mau…


Desta escritora já li o “Chocolate” e o “Cinco quartos de Laranja”, ambos romances “bonitos”. Talvez “bonitos” não seja o adjectivo mais adequado para caracterizar um livro, mas a minha ideia aqui é realçar o lado “claro, leve e positivo” das histórias desta escritora. Este “ O rapaz dos olhos azuis” é completamente diferente destes outros livros.
Uma das qualidades que não desaparece neste livro é o apelo aos sentidos que já se tornou marca da autora . Aqui é o cheiro e a cor que marcam presença. A tudo se associa um cheiro e uma cor (e às cores, cheiros, texturas).
Mas, e mesmo sendo o azul a cor predominante, é um livro absolutamente negro, “dark”.
Por uma vez a sinopse não ajuda em nada a perceber o livro. Aliás a sinopse leva a enganos. Este é um thriller psicológico em que nada é o parece, ninguém é culpado ou inocente e a realidade e ficção estão de tal forma entrelaçadas que é impossível separá-las.
O livro está escrito sob a forma de entradas de um webjournal num forúm ou coisa parecida (badboysrocks) escritos por Blueyedboy e Albertine, duas personagens (reais? Puramente fictícias?) com um passado, algo sinistro, em comum. A história é contada sob a forma de histórias que podem ser ou não reais. Confuso? Experimentem ler o livro e vão perceber o que é realmente a confusão. Quem escreve o que? Quem é a vitima e quem é o assassino? Quem é Emily, Jenny ou mesmo B.B?

Resumindo: é bom, diferente e recomendo. Mas leiam de mente aberta, ok?




publicado por Patrícia às 14:40 link do post
É mesmo um livro diferente de todos os outros da autora. Também gostei, não tanto como estava à espera, porque fui das que foi enganada pela sinopse, mas é impossível não gostar de Joanne Harris. :)
N. Martins a 21 de Janeiro de 2011 às 14:56
Já ouvi falar muito bem desse livro, a ver se nas férias o consigo ler.

Beijoca!

PS: leio sempre tudo com a mente aberta, às vezes tão aberta que entra por um lado e sai por outro!
Rafeiro Perfumado a 24 de Janeiro de 2011 às 11:01
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO