Ler por aí
 
23 de Julho de 2014

 
Disclaimer: Allende, mesmo quando não está no seu melhor, é uma das minhas escritorasfavoritas pelo que esperarem uma opinião completamente isenta da minha partenão é algo que devam fazer….

 Um policial escrito pela Isabel Allende não é usual. Paramim foi uma aposta ganha. Para quem é fã de policiais nórdicos, cheio de sanguee de cenas macabras com as suas teorias de que as sociedades perfeitas escondemsempre uma podridão imensa, este não é o livro ideal. Este livro é bastantedivertido e muito pouco negro, apesar da violência de alguns dos homicídios.

Allende é exímia a descrever personagens e isso nota-seaqui. Ficamos rapidamente a conhecer os personagens principais e a ter umapanóplia de informações que, não sendo fulcrais para o livro, são a melhorparte de tudo (e muita gargalhada dei eu com algumas das peripécias contadas –o Ryan e a sua namorada fã das cinquenta sombras de grey arrancaram-me algumasdelas) . Quase sem dar conta vi-me completamente envolvida e a torcer pelaAmanda e pelos seus amigos de Ripper. A relação de Amanda com o seu esbirro éternurenta, os nomes dos gatos são… ridiculamente divertidos? Sim, que um gatochamar-se “salve-o-atum” ou coisa do género é algo que não lembra às mentesmais loucas.

Ou seja, este é um policial fantástico para gente pequenacomeçar a ler policiais. Lembro-me que, na minha adolescência, lia imensoAgatha Chistie e Sir Arthur Connan Doyle e este livro ter-se-ia encaixadomaravilhosamente nessa altura da minha vida. Quem não gostou do “A cidade dosdeuses selvagens” provavelmente também não vai gostar deste “O jogo de Ripper”mas eu gostei imenso e aconselho incondicionalmente.
 


Sinopse
Indiana e Amanda Jackson sempre se apoiaram uma à outra. No entanto, mãe e filha não poderiam ser mais diferentes. Indiana, uma bela terapeuta holística, valoriza a bondade e a liberdade de espírito. Há muito divorciada do pai de Amanda, resiste a comprometer-se em definitivo com qualquer um dos homens que a deseja: Alan, membro de uma família da elite de São Francisco, e Ryan, um enigmático ex-navy seal marcado pelos horrores da guerra.
Enquanto a mãe vê sempre o melhor nas pessoas, Amanda sente-se fascinada pelo lado obscuro da natureza humana. Brilhante e introvertida, a jovem é uma investigadora nata, viciada em livros policiais e em Ripper, um jogo de mistério online em que ela participa com outros adolescentes espalhados pelo mundo e com o avô, com quem mantém uma relação de estreita cumplicidade.
Quando uma série de crimes ocorre em São Francisco, os membros de Ripper encontram terreno para saírem das investigações virtuais, descobrindo, bem antes da polícia, a existência de uma ligação entre os crimes. No momento em que Indiana desaparece, o caso torna-se pessoal, e Amanda tentará deslindar o mistério antes que seja demasiado tarde.

publicado por Patrícia às 14:03 link do post
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO