Ler por aí
 
30 de Abril de 2013


 

Depois de ter ficado absolutamente desorientada com o “Oremorso de Baltazar Serapião” este foi o livro certo para ler. Ando virada paraos policiais, para leituras mais rápidas, urgentes.

E andava com a dupla Lars Kepler debaixo de olho há umasérie de tempo. Encontrar este Hipnotista com 40% de desconto foi aoportunidade perfeita.

É difícil escrever uma opinião sobre um policial, tenho medode revelar demais. Por isso esta opinião vai ser sucinta.
Acho que esta moda dos policiais nórdicos (Millenium, Jonesbo) está a agradar-me imenso, acho que tenho um filão (quase) inesgotávelpara explorar até me cansar dos policiais. O lado mau é que acho que tenho medode ir à Suécia ou a outro país nórdico. A sério, acho que estes livros mostramo quão chanfrados e psicopatas (e sociopatas e essas coisas todas) aquela gentepode ser. A imagem que nos “vendem” é de uma sociedade super-organizada ecivilizada, mas depois de ler estes livros (e de me lembrar de coisas como omassacre de Utoya, na Noruega) essa imagem foi completamente substituída poruma de frieza absoluta, de ruindade e de loucura. (Claro que não generalizo,ok?)
Como a maioria dos policiais este livro lê-se quase de umaassentada, custa parar antes de ler mais um capítulo. Gostei do Hipnotista, oErik Maria Bark e da mulher, a Simone. Gostei imenso do inspector, o JoonaLinna, parece-me personagem para vários livros sem chatear (e não é nenhum dom juan como o “nosso” execrável TomásNoronha). Não é daqueles livros em que passamos o tempo todo a pensar em quem éo assassino. Apesar disso, há umas reviravoltas interessantes. E mais não digo,que para opinião sucinta o texto já vai longo.
publicado por Patrícia às 16:32 link do post
Gostei bastante deste livro, um dos melhores desta "onda" de policiais nórdicos que tanto gosto :P
Claro que Stieg Larsson é a referência imediata neste género, mas penso que já leste a trilogia Millenium.
Já leste Camilla Läckberg? Ainda só li o 1º dela mas também é muito bom dentro do género :)
Gostava de experimentar Jo Nesbo e Mons Kallentoft mas ainda não tive oportunidade...
Mónica Silva a 30 de Abril de 2013 às 20:57
Olá Patrícia. :)
Como sabes também estou numa onda de policiais. De ter aproveitado a campanha do dia do livro na wook tenho um vale para descontar. Os livros desta dupla Lars Kepler estão no topo da pilha, juntamente com o Jo Nesbo e aquele outro escritor que falámos e eu não me recordo agora o nome (LOLOLOL) qualquer coisa Wilson. (Não me lembro mas como os seus livros estão na minha lista da wook não é grave) :)
Boas leituras!!
André Nuno a 30 de Abril de 2013 às 22:09
Nunca li Camilla Läckberg e nem sequer sei quem é Mons Kallentoft mas vou já investigar. Obrigada pelas sugestões
Patrícia a 1 de Maio de 2013 às 11:58
Robert Wilson, Robert Wilson. :)
Patrícia a 1 de Maio de 2013 às 11:58
Então e o Daniel Silva? Não gostam dele? Eu adoro-o! Quem já leu que se acuse, por favor!
UmaMaria a 5 de Maio de 2013 às 11:03
Li este livro o ano passado e gostei mesmo muito, tenho ouvido dizer que "O Executor" é mais fraco, mas quero ler ainda este ano.
http://nososlivros.wordpress.com/2012/03/24/o-hipnotista-lars-kepler/
nuno chaves a 5 de Maio de 2013 às 12:55
Eu acuso-me, eu acuso-me!! Já li dois livros dele e adorei. :D
André Nuno a 5 de Maio de 2013 às 19:27
Eu juro que já te respondi a isto :), mas sim, já li Daniel Silva. Só um e não dos melhores. Mas ainda lhe vou dar mais uma oportunidade :)
Patrícia a 6 de Maio de 2013 às 18:36
Também já ouvi dizer o mesmo. Mas mesmo assim quero ler. Uma amiga minha gostou imenso do novo (agora não me lembro do nome).
Patrícia a 6 de Maio de 2013 às 18:37
Tenho muita curiosidade relativamente a este autor. Se estiverem baratinhos na Feira do Livro trago um comigo. :)
N. Martins a 10 de Maio de 2013 às 00:04
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO