Ler por aí
 
02 de Junho de 2013

Acabei de chegar da feira do livro. O entusiasmo este ano não era enorme mas à medida que se aproximava o dia marcado a expectativa crescia. Aliás os inúmeros posts com as compras planeadas e efectuadas que a maioria dos bloggers insistiu em fazer ajudaram à festa.
E hoje lá fui. E tenho várias coisas a comentar.
As barraquinhas dos alfarrabistas continuam a ser as minhas preferidas. Claro que ir lá ao sábado à noite e tendo a feira começado há mais de uma semana não é o mais inteligente. Mesmo assim consegui trazer dois livritos a preços simpáticos. Na realidade um deles (da Rosa Lobato de Faria) que comprei por 5 euros está à venda novo (em versão de bolso) a pouco mais desse valor. Mas, nem sei bem porquê, já se tornou uma tradição comprar os livros da Tia Rosinha nos alfarrabistas da feira do livro.
Trouxe também a 3 euros um livro que quero ler há bastante tempo: "O Adeus Princesa", da Clara Pinto Correia. Para este as expectativas são baixas mas gosto do título e tenho alguma curiosidade em ler um livro desta autora.
Para além disso aproveitei o desconto da feira para comprar o livro da Maria João Lopo de Carvalho, "A Marquesa de Alorna", em livro de bolso.
Mas continuo a não gostar das praças das grandes editoras. Ou melhor da praça da LEYA que aquilo é uma confusão do pior, toda a gente se empurra, um barulho que não se pode e ainda tive que levar com um misto de mornas (que adoro) e de música pimba (juro que dava para fazer bailarico) que me irritou solenemente.
Tirando os alfarrabistas não acho as promoções da feira assim tão boas a não ser que se vá lá na hora H. O que nem sempre é fácil. infelizmente começo a trabalhar às 8h da manhã, pelo que ficar em Lisboa até às 10h da noite implica chegar a casa por volta da meia-noite - e ser um zombie no outro dia. E ao fim de semana não há (acho) hora H.
Tivemos também a triste ideia de lá ir jantar. As bifanas tinham acabado e a pita shoarma estava intragável, salgadíssima e trazia batalha palha lá enfiada (???!!!). baghhhh, um nojo.
Salvou-se a ginjinha (não dá para estragar, certo?) e a companhia.
E sendo sábado à noite não seria de haver umas actividades?  Sei lá, umas sessões de autógrafos, qualquer coisa que animasse a feira? Nada planeado para a noite. Digo eu, que tenho mau feitio, que fazia falta.
Mas apesar de tudo adoro a feira do livro, passear entre livros e gente que gosta de livros. 
Parabéns aos livreiros e a todos os que lá trabalham. Não deve ser fácil aturar as gentes que por lá passam e, a um sábado à noite, ainda distribuir simpatia.

publicado por Patrícia às 01:47 link do post
Bons preços na Relógio d'agua, vários títulos da Clara Pinto Correia a €3,00 e €5,00. Hora H de segunda a quinta. Batalha palha??? MEDO! Ainda bem que não como dessas coisas...eheh...
Márcia Balsas a 2 de Junho de 2013 às 02:06
A Feira do Livro de Lisboa continua tão boa como sempre, e é sempre um prazer enorme lá ir. Felizmente que vivemos perto e dá para lá passar diariamente sempre que queremos esticar um pouco as pernas.
Fazemos quase todas as nossas aquisições anuais na feira mas curiosamente os alfarrabistas nunca me atrairam muito. Gosto imenso de pegar num livro em que as páginas ainda estão meio coladas de tão novo que ele está. Hoje em dia com a Hora H, os Livros do Dia e as bancas das promoções, as diferenças de preço não são muito significativas. Na banca dos 5€ da Saída de Emergência encontram-se coisas muito boas a qualquer hora do dia e na Hora H na Porto Editora há livros interessantes com 70% de desconto.
Também lá passamos ontem à noite. O estardalhaço musical na Praça Leya era terrorífico. Nunca achei que o espaço Leya fosse muito bem conseguido. Tem demasiadas coisas, as pessoas andam aos encontrões uns aos outros.
Quanto a comer já desisti das rolotes, mais vale descer até à Praça do Marquês e ir ao "The Great American Disaster". É fastfood mas é bem melhor.
TheKhan a 2 de Junho de 2013 às 16:41
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO