Ler por aí
 
25 de Julho de 2014

Este ano li 23 livros, 10 dos quais de autores Portugueses(43,48%), 6 foram-me emprestados (26,09%), 6 foram ebooks (26.70%) e 2 foram emlíngua estrangeira (8,70%).
O que gostava de destacar é que 43% dos livros que li foramde autores Portugueses. Não é um mau número mas não é, também, um bom número paramim. O meu objetivo é que, pelo menos metade dos livros que leio seja deautores Portugueses. Depois quero que os autores lusófonos estejam em grandemaioria na minha lista de livros lidos, mas este é um objetivo ainda em construção.
Quero ler autores Portugueses por vários motivos:
1.   Porque gosto.Temos excelentes escritores e cada vez gosto mais de os ler.
2.   Sou Portuguesa e gosto de saber o que por cá seescreve. Só o posso saber se ler.
3.   Sou Portuguesa e acho triste que os estrangeirossaibam mais acerca do que por cá se escreve do que eu. Sinto mais orgulho nos nossos escritores que nosnossos jogadores de futebol (e não conto como escritores os jogadores defutebol que escrevem livros - mas isto já é o meu mau-feitio a falar)  
4.   Porque Gosto. Já tinha dito isto mas nunca édemais reforçar que, efetivamente, seescreve muito bem por cá.
5.   Sou leitora e sou Portuguesa. Sinto cada vezmais responsabilidade em relação aomundo editorial Português: nós estamos para o mundo editorial como “os mercados”estão para as finanças. Na realidade é o que nós queremos, o que a maioria denós quer (e querer significa comprar) é o que as editoras editam (e o que sevende por aí diz mais de nós que das editoras). O problema é que nós optamos,muitas vezes, por comprar lá fora, ler o que vem de fora só porque é maisbarato e esquecemo-nos que estamos a construir o nosso próprio futuro literário.
 Outro número que destaco é que ¼ doslivros que li foram em formato eletrónico. Os ebooks que li em Português, comprei. Nãocompro mais porque há pouca coisa em PT/PT mas, tal como referi no ponto 5, senão comprarmos ebooks como podemos exigir que eles sejam editados? São carosdemais? Sim, são. Ainda são um bocadinho maltratados? Sim, são. Mas eu gosto,dão-me jeito e pretendo continuar a comprar.
 
No geral estes meses foram óptimos em termos de leituras (e para mim óptimo é qualitativo e não quantitativo). E vocês? Andam a ler autores Portugueses? Contem-me tudo....
publicado por Patrícia às 15:43 link do post
Por acaso não faço ideia...Tenho um caderno onde tomo nota desses dados, mas só faço um balanço no final. Sou preguiçosa para contas...O ano passado estabeleci o alvo de ler mais autores portugueses e mais obras de senhoras. Vamos lá ver...Em relação ao ponto cinco, já senti mais essa "obrigação", agora arranjo livros onde conseguir: promoções, em sites...Por exemplo, um clássico que custa muitas vezes acima dos vinte euros encontra em meia dúzia de cliques na net (se a pessoa não tiver um dispositivo é que é mais complicado...)...Além disso há certas editoras que gozam um bocado com o pessoal. Claro que ás vezes compro...Esses sites estrangeiros nunca usei. Concordo em relação aos outros pontos.

Cumps!
Sara a 25 de Julho de 2014 às 18:23
tens toda a razão. Eu tb aproveito descontos, promoções e tudo (empréstimos, alfarrabistas etc). o que quero dizer com o ponto 5 é que também faço um esforço para comprar português. Em vez de comprar 5 livros em inglês porque são mais baratos prefiro comprar 1 em português. Mas isso acontece por vários motivos: porque posso (se não pudesse só lia emprestado e da biblioteca, que para ler não é preciso dinheiro), porque não tenho tempo para ler aqueles 5 livros e basta-me comprar 1. Basicamente sinto-me cada vez mais responsável por fazer a minha parte enquanto leitora. E tens toda a razão em relação aos clássicos: há alguns que me recuso a comprar, acho um roubo. Aqui falo principalmente de novos (ou não tão novos assim) escritores portugueses. Boas leituras
Patrícia C. a 25 de Julho de 2014 às 18:49
Com tanta coisa que há este ano da maior diversidade literária e ler livros escritos por mulheres, reparei que se eu tenho alguma falha é que leio pouco ou nenhum autor português. É claro que já reparei nisto há algum tempo, mas só neste ano em que estou a anotar a nacionalidade dos escritores e outros dados para fazer um balanço semelhante ao que fazes aqui no final do ano, é que reparei no quanto leio de autores norte-americanos. Até agora só li um autor português, O Meu Programa de Governo do José Gomes Ferreira, e li 2 canadianos (um em conjunto com um americano), cinco ingleses, uma mexicana, uma nigeriana, uma peruana e um australiano. 12 outras nacionalidades para 19 ou 20 americanos.

Vou tentar inverter a tendência embora seja difícil com tanto livro que tenho por casa de autores norte-americanos, mas também sei que se não fizer um esforço consciente então é que não mudo mesmo. Para tal esforço acho que passos pequenos são os melhores e por isso quero ver se leio pelo menos mais 2 livros de autores portugueses até ao final do ano e tentar fazer com que o número de norte-americanos não exceda os 50%.
WhiteLady3 a 26 de Julho de 2014 às 17:20
tb estive a ver a nacionalidade. Os Portugueses ganham de longe. Os americanos só se safam porque li a trilogia Divergente e mais 1. Depois tenho japoneses e nigerianos (murakami e chimamanda rules). Faltam-me lusófonos: brasileiros, moçambicanos. Lembrei-me agora que ainda tenho 1 livro que trouxe de Cabo-Verde para ler, vai para o cimo da pilha. Entretanto estou a ler o vendedor de passados do Agualusa e o ebook do Gone Girl…
Patrícia C. a 26 de Julho de 2014 às 21:04
Se formos pelos autores lusófonos então sou mesmo uma desgraça! Acho que nunca li nenhum. Este ano prometi à minha mãe que lia o Meu Pé de Laranja Lima, se o fizer penso que será o primeiro livro de um autor brasileiro que leio e o primeiro autor de língua portuguesa que não é português. É uma vergonha, eu sei, ainda por cima quando a nossa língua é fantástica.
WhiteLady3 a 28 de Julho de 2014 às 09:21
Belíssimas percentagens Patrícia! o ano ainda não acabou!
Para mim este ano tem sido um ano estranho quanto a leituras, continuo na frenética tentativa (desde há quase 3 anos) de acabar de vez com filas de espera (uma coisa boa, quando não se tem dinheiro para novidades) :)
Tenho requisitado mais livros na biblioteca aqui da zona e tenho feito leituras de autores repetentes.
Lars Kepler, Collen McCoulough, Rosamunde Pilcher, Noah Gordon, Valter Hugo Mãe, Ken Follett, Primo Levi (são alguns dos repetentes).
Quanto a leituras em PT, para além de VHM, apenas Pedro Garcia Rosado, que descobri apenas o ano passado e rendi-me completamente ao seu trabalho. Tenho pena que não existe muito mais do género em PT. (Não sei se já leste, mas creio que vais gostar)
Beijinhos. Continuação de boas leituras.
nuno chaves a 28 de Julho de 2014 às 11:03
De portugueses..hum nada :/ tenho em standy procurar livros do valter hugo mãe e do gonçalo m. tavares para ler, mas ando noutras leituras. Não conta se forem palop? :P
Fuschia a 31 de Julho de 2014 às 10:30
Fiquei muito surpreendida quando, durante as sessões do Café com Letras, do Carlos Vaz Marques, me fartei de descobrir autores portugueses dos quais depois vim a gostar. Está-se a escrever muita coisa muito boa e ainda bem. Recentemente apaixonei-me pelos ebooks. é uma boa mistura!
cafesnopateo a 20 de Agosto de 2014 às 15:08
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO