Ler por aí
 
25 de Novembro de 2015

Não acredito em metas anuais (por quantidade) de leitura porque leio sempre que posso e me apetece e não me sinto nada culpada quando posso e não me apetece ou quando não posso e me apetece (aqui sinto-me só infeliz, mas não culpada).

Mas este ano "descobri" que ter algum objetivo me ajuda a resistir às leituras circunstanciais e que funcionou.

Fiz um esforço real para ler mais escritores Portugueses e depois de me ter apercebido que, em 2014, 50% dos livros que li foram de escritores Portugueses, decidi que em 2015 queria superar este número.

Estamos a 1 mês do final do ano e 58.33% dos livros que li são de autores Portugueses. Tendo em conta as leituras atuais este número vai descer para 55.26% mas se pensar em autores lusófonos vou superar a magnifica marca dos 63%.

E é isto importante? Para mim, sim, é. Muito mais do que saber, em números absolutos ou páginas, quantos livros li. Não comparo um livro de ficção, enorme mas que leio em 3 dias, com um livro que me dá luta e que levo um mês a ler. São coisas incomparáveis. Cada pessoa tem as suas metas e objetivos. A minha é aproximar-me da literatura Portuguesa. E este ano tem sido muito bom para isso...

E vocês? Estão perto de atingir os vossos objetivos literários?

publicado por Patrícia às 11:23 link do post
tags:
vês estes números/percentagens todos no goodreads?
Catarina a 26 de Novembro de 2015 às 11:04
Nop... no ficheiro que fiz. O velho e bom excel com a fórmula mais útil para estas tretas: counta (tenho colunas onde marco qdo são ebooks, emprestados, portugueses, lusófonos, etc)
Patrícia a 26 de Novembro de 2015 às 11:26
Gosto desse objectivo de aproximares-te da literatura portuguesa. :)

Eu já atingi todos os objectivos a que me tinha proposto, excepto um, terminar de ler David Copperfield (fica para o ano, sem problema).
Cláudia Oliveira a 26 de Novembro de 2015 às 12:02
Como diz a Catarina, com quem partilho este blog, não acabar de ler um livro é um dos direitos de um leitor ... e eu acrescento que não atingir objectos também :)
Boas leituras, Cláudia.
Patrícia a 27 de Novembro de 2015 às 10:10
Para este ano só tinha como objectivo ler melhor e acho que o fiz, no entanto em 2016 espero ler ainda melhor e um maior número de autores nacionais.
Carla B. a 27 de Novembro de 2015 às 10:06
:) O que interessa é que gostes do que lês. Eu sei que sou uma chata com isto dos escritores nacionais mas a verdade é que só atingi o objectivo porque tenho gostado mesmo do que tenho lido.
beijinhos
Patrícia a 27 de Novembro de 2015 às 10:11
Com o doutoramento e outras coisas que lhe estão inerentes, sabia que ia ter muito menos tempo para ler. Por isso, não criei metas para mim, embora quisesse ter lido mais autores portugueses. Já sabia que se conseguisse ler mais do que um livro por mês era bom! Criei foi uma lista de 12 livros que queria ler, mas acabei por só ler três. E como este ano correu tão bem, já fiz a lista para o ano que vem
No entanto, este ano serviu para me mentalizar que se não me apetecer ler, não leio. Se demorar um mês inteiro para ler um livro, demoro. Serviu para acabar um bocado com aquele sentimento de culpa por não estar a ler.
Diana M. a 20 de Dezembro de 2015 às 19:54
exactamente. O maior direito de um leitor é ... não ler. Às vezes forçar a leitura é muito complicado e piora a coisa. Nessas altura prefiro pegar num livro de leitura compulsiva (há mais mistborn, por aí?)
Boas leituras
Patrícia a 21 de Dezembro de 2015 às 10:37
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO