Ler por aí
 
13 de Abril de 2012



Tinha visto o filme e decidi comprar o livro. Inevitavelmente gostei mais do livro do que do filme. E fez-me tão bem ler este livro. Não ando propriamente com o melhor do humores, nem estou na melhor fase da minha vida, ando com mais trabalho do que aquele que me apetecer fazer e há pouca coisa melhor que mergulhar num livro e lê-lo até à exaustão simplesmente porque não conseguimos parar. 
Há livros fantásticos, dos quais gosto verdadeiramente e com os quais aprendo imenso e depois há livros nos quais me vicio e que me conseguem fazer esquecer tudo o que está à minha volta. Este cabe nesta última categoria. Comecei a lê-lo e em 3 ou 4 dias tinha-o acabado. É certo que a escrita é simples o bastante para permitir uma leitura rápida, mas foram as personagens e a história que me cativaram e que conquistaram.
É fácil amar e odiar algumas personagens deste livro. É fácil pormo-nos  na pele da Seeker mas a verdade é que não sabemos como reagiríamos em situações similares. Ainda hoje há tanto preconceito e no entanto todos nós ouvimos falar de igualdade. Mas tempos houve em que igualdade era algo inimaginável, em que o correcto era que brancos estivessem de um lado e pretos do outro. E cada um de nós é resultado da educação que teve, da sociedade que o rodeia e molda. Remar contra a maré, contra o pensamento em voga não é fácil e não é para todos. Mesmo que pensemos que seriamos capazes de fazer a diferença o mais provável é que não fossemos. A História da humanidade está cheia de episódios como este e não podemos esquecer-nos nunca de todos os erros que já foram cometidos sob pena de deixarmos que aconteçam novamente. Por isso é que acho que acho tão importantes livros como este, que de uma forma doce e mesmo divertida, nos alertam para o que de mais escuro existe na humanidade. Nem sempre é preciso falar do mal de uma forma tenebrosa, há fantasmas que se exorcizam melhor de uma forma positiva.
E como podem ver este livro fez-me pensar. Muito. E fez-me rir. E quase me fez chorar. E aconselho-o a todos.
publicado por Patrícia às 20:15 link do post
Eu achei que o filme tinha quebras na história. Cenas que não colavam muito bem.
Fuschia a 13 de Abril de 2012 às 20:44
Eu achei o livro fabuloso. Não fui ver o filme porque sabia que ia ficar desiludido; era impossível fazer um filme que atingisse o nível do livro.
É um livro que apela à emoção e que, como a Patrícia sentiu, faz bem à alma.
Manuel Cardoso a 13 de Abril de 2012 às 21:43
Há, de facto, coisas que se percebem bem melhor no livro. E se gostaste do filme digo-te apenas: lê o livro, vais adorar.
Patrícia a 13 de Abril de 2012 às 22:12
Não sei se ia ficar desiludido. Apesar de não ser tão bom como o livro é francamente bom. Com excepção da história da Mãe da Seeker, o livro é bastante fiel.
E este livro fez-me mesmo bem à alma :)

Boas leituras
Patrícia a 13 de Abril de 2012 às 22:15
Nao te disse q era óptimo? Recomendadíssimo! E tive esse livro na minha cabeceira uns 4 ou 5 meses pra começar a ler. Se eu soubesse...
Andorinha a 13 de Abril de 2012 às 22:25
Disseste, pois. E eu devia ter ido a correr à livraria. Mesmo já conhecendo a história, amei.
Patrícia a 13 de Abril de 2012 às 22:28
Li-o há algum tempo e adorei.
É bem verdade que é mais fácil julgar quando estamos por fora das situações. Como reagiriamos se estivessemos "dentro" das situações? Temos sempre a esperança de que estaríamos do lado da justiça, não é?
Tenho vontade de ver o filme, mas não sei se passará por aqui. Vamos ver.
Um abraço
Isabel a 17 de Abril de 2012 às 07:48
Vi o trialer do filme e achei muito interessante pelo que optei por ler o livro primeiro. Já está na minha wishlist. Acho que vai ser daqueles livros que quando passar por ele na livraria não vou resistir e trago-o comigo.
Landa a 18 de Abril de 2012 às 10:40
Olá Isabel,
Quando tiveres oportunidade vê o filme. É muito giro e as actrizes estão muito bem escolhidas.
Boas leituras
Patrícia a 19 de Abril de 2012 às 12:55
épa, vai a correr comprá-lo. Lê-o logo. Vais ver que vale a pena :)
Boas leituras
Patrícia a 19 de Abril de 2012 às 12:56
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO