Ler por aí
 
24 de Junho de 2015



Há poucos livros com uma capa maisfantástica do que esta. Infelizmente é enganadora. Há poucas sinopses tãointeressantes quanto esta. Infelizmente é enganadora. Tirando isso gosteibastante do livro.

Comprei-o pela capa. E pela sinopse. 
Gostei pela escrita.  Pelas palavras,pelos personagens. Apesar destes serem pouco explorados. Na realidade e porconhecermos o personagem central (o único que realmente interessa) apenas pelaspalavras de terceiros quando ele é, nitidamente, alguém que não é passível deser atingido por quem quer que seja, rapidamente percebemos que afinal temosque tentar decifrar o próprio livro.
Rong Jinzhen é um miúdo estranho (éinclusive levantada a hipótese de sofrer de uma ligeira forma de autismo) que éeducado num amaldiçoado jardim de pereiras por um estrangeiro. É aqui, com asflores das pereiras, que aprende a contar. Quando acaba porocupar o lugar a que tem direito por nascimento é reconhecido pelo seu tutorcomo um génio da matemática e o lugar passa a ser seu por mérito e talento (e onde está a justiça disso?). Confesso que esta parte do livro me fascinou. Oautor consegue fazer-nos acreditar no génio e talento de Jinzhen. A relaçãodeste miúdo autodidata  com um professoruniversitário, também ele um génio da matemática com aspirações ao estudo dainteligência artificial (estamos nesta altura no final da segunda guerramundial), é super interessante. A ida deJinzhen para uma unidade secreta onde se torna um herói como criptoanalista marca a segunda parte deste livro. Eé aqui, quando pensava que a ação ia começar, que comecei a ficar um bocadinhodesiludida (e a culpa é de ter lido a sinopse). Nem a matemática toma um lugarde destaque, nem as cifras o fazem. Mas não deixa de ser interessanteacompanhar o destino de Jinzhen, a sua luta contra a Negra, o valor da amizade eda traição e a proximidade entre a loucura e o génio.
E é inevitável referir que, apesar de nãoconsiderar este um romance tipicamente Chinês (até porque, para ser sincera,não faço a menor ideia do que é isso), é possível aprender um pouco sobre aChina do pós-segunda guerra mundial, da cultura que ainda hoje marca este país.Essas marcas estão lá, inevitavelmente.

E apesar de ter ficado um bocadinho desiludida coma história (e continuo a culpar a sinopse, feita apenas para vender) gosteiimenso da escrita deste autor. Sem cair no facilitismo e na rapidez dospoliciais e thrillers conseguiu manter-me interessada do princípio ao fim.Parece que este é o primeiro livro de uma trilogia. Vou ficar à espera dacontinuação.
publicado por Patrícia às 13:23 link do post
tags:
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO