Ler por aí
 
03 de Janeiro de 2013


 
No primeirodia do Ano resolvi começar o Ano com o Fantástico e o 1º livro que termineieste ano foi o “A casa de Gaian” que fecha a trilogia que Anne Bishop iniciou comOs pilares do Mundo e Luz e Sombras.

Ler AnneBishop é ler compulsivamente e acabar com uma certa sensação de pena. Pena porter acabado. Acho que esta autora tem uma imensa imaginação e que constróimundos fantásticos. Depois do Inferno dos Sangue e de Efémera agora é na Serrada Mãe, nas terras da Casa de Gaian que se passa esta história.

Devo dizerque a autora conseguiu surpreender-me neste terceiro volume. Estava com algumreceio de que o final desta saga fosse demasiado previsível e que não trouxessenada de novo. Mas pareceu-me que o equilíbrio entre o que era previsível e anovidade foi bastante bem conseguido. Mantendo a coerência da história e odesfecho que (quase) todos os leitores pretendiam, Anne Bishop conseguetrocar-nos as voltas na medida certa. Aliás é do equilíbrio entre a luz e assombras, o bem e o mal que esta trilogia vive.

De certaforma fez-me lembrar a Marion Zimmer Braddley e as suas Brumas de Avalon.Personagens femininas fortes e o poder no feminino, a presença de personagenscomplexas e cheias de uma dualidade que as faz verdadeiras – ninguém écompletamente bom ou mau – com exceção do flagelo das bruxas, encarnação do malque achei exagerado, demasiado unidimensional para me interessar.

Gostei dosnovos personagens que apareceram neste terceiro livro. Parece-me no entanto quealguns estão lá apenas para serem a ligação a ser usada noutros livros. Pessoalmentepreferia que a escritora fechasse o mundo aqui, não o explorasse mais (tal comoo mundo dos sangue deveria ter acabado na trilogia das jóias negras ou Sevenwatersnunca deveria ter sido explorado numa segunda trilogia).

Em conclusão:gostei, claro. Aliás Gostei muito mais do que esperei aquando da leitura doprimeiro livro. Como sempre ler Anne Bishop é uma excelente forma de sair darealidade por algum tempo (mas para um mundo algo negro, como sempre).
publicado por Patrícia às 16:12 link do post
Olá! Acabei de conhecer o teu blogue :)
Já li este livro e concordo com a maioria do que disseste (por acaso eu gostei do Flagelo das Bruxas enquanto personagem), mas também houve coisas que me incomodaram por terem ficado em aberto. Odeio pontas soltas, é algo que me mexe com o sistema nervoso 95% das vezes
Esta série foi estendida? Não sabia :o
paginasencadernadas a 2 de Janeiro de 2014 às 21:42
Welcome :)
Não, esta série não foi estendida, o que acho é que algumas personagens secundárias deste livro ainda vão ser personagens principais doutros livros. Mas isso é apenas uma aposta pessoal. Não faço ideia se será assim ou não.
Boas leituras
Patrícia a 3 de Janeiro de 2014 às 11:03
Ahhhh, pois, também não sei. Talvez ela faça isso e seja esse o motivo das pontas soltas. A ideia também não me agrada muito. Quando tentam fazer render o peixe dessa forma, normalmente a qualidade dos livros decresce :/
paginasencadernadas a 3 de Janeiro de 2014 às 13:29
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO