Ler por aí
 
27 de Março de 2015

A sugestão de hoje é o Canal da Catarina, Little House of Books.

Esta menina lê imenso e tem sempre vídeos novos. Tem sido muito giro acompanhar o seu crescimento enquanto "You Tubber" (será assim que se diz? Não faço ideia) e ouvir as suas opiniões sobre livros.

Deixo-vos um vídeo que demonstra o trabalho e a dedicação da Catarina ao Canal: um vídeo com um passeio pelas capas de um livro nas suas várias edições e países.


publicado por Patrícia às 12:45 link do post
tags:
26 de Março de 2015

Anda por aí uma notícia que pretende (e consegue) chocarpais, professores e população em geral. Diz que uns iluminados escolheram oHobbit em vez do Dom Quixote e que isso é um crime literário.
Ora eu, que tenho mau feitio, dei-me ao trabalho de ir ler alista de obras escolhidas na tal proposta de programa de Português do ensinobásico e devo dizer que fiquei estarrecida. Que H-O-R-R-O-R.
E digo “que horror”, não pelo Dom Quixote ter ido procurarmoinhos de vento para outras bandas, nem pela terra média ter invadido Portugalmas sim por aquela lista estar cheia de coisas chatas, maçudas, sem interesse.Contam-se pelos dedos de uma mão as obras de que gosto ali. E garanto-vos que oHobbit seria a minha primeira escolha (vá, depois das obras da Alice Vieira –amo de paixão – e imediatamente antes do Mia Couto) e das poucas que acreditoque vai fazer os miúdos pegarem num livro.
Pelo “amor da santa”, Cervantes para miúdos até ao 9ºano???? É que se 2% dos miúdos quiser ler Cervantes até essa idade fico muitoadmirada.
Ah, não podemos baixaro nível, é por isso que a literatura está como está, blá, blá, blá, pardais aoninho
Dom Quixote, até ao 9º ano? A sério?
Os iluminados que “mataram” o Cervantes e “salvaram” oTolkien merecem todo o meu respeito …. Pena é não terem dado uma volta a sérionaquela lista e não haver lá Harry Potters e afins que consigam fazer daleitura a cena maravilhosa e divertida que é.
publicado por Patrícia às 11:41 link do post
24 de Março de 2015

E por falar emsonhos, no sábado é dia de assistir à concretização de mais um. Uma das meninasda Roda dos Livros (mais uma,é só talento por lá J ) vai apresentar-nos o seu livro numa sessão no dia 28/3 (sábado) às17h na "Pessoa e Companhia - Associação Cultural".
 
O livro “trêspianos e outros exercícios” será apresentado por Jorge Alexandre Navarro eIsabelina Jorge e ainda teremos a oportunidade de assistir à leiturade um texto de Pedro Sena-Lino (Uma Galáxia Por Dentro)
E porque ficofeliz (e cheia de orgulho) pelo sucesso dos meus amigos, estarei por lá nosábado. Querem aparecer?
 
A escritora é a doce e talentosa Paula Dias e o livro será, certamente, uma boa surpresa. Ainda por cá falarei deste "três pianos e outros exercícios".
publicado por Patrícia às 15:46 link do post
tags:
23 de Março de 2015

 
A Márcia(acho que todos a conhecem) arriscou e participou no concurso de contos que a Sofiapromoveu no aniversário do Blog BranMorrighan. Quemavaliou os contos achou que ela e mais quatro pessoas (André Mateus, Cláudia Ferreira, Eduardo Duarte eMárcia Costa) mereciamter os seus contos publicados na colectânea “Desassossego da Liberdade” (deixo-voso trailer do livro) juntamente com os contos de mais 5escritores (Carla M. Soares, Manuel Jorge Marmelo, Nuno Nepomuceno, Pedro Medina Ribeiro e Samuel Pimenta) e duas participações especiais (David"Noiserv" Santos e Guillermo de Llera Blanes). E a capa é do João Pedro Fonseca.
Mas o sonho destes novos escritores sóse tornará realidade se até dia 10 de Março angariarem 1500 euros. Está tudoexplicado aqui masbasicamente para ajudar basta comprar o seu exemplar antecipadamente (estão neste momento a 54% do seu objectivo).
Eis como eu vejo as coisas: aSofia teve uma enorme coragem por sonhar tão alto, quem participou no concursoteve coragem e ousou sonhar.
Vamosdeixar o sonho deles morrer na praia?
Eu quero ler estes contos e járeservei o meu exemplar.


publicado por Patrícia às 15:55 link do post
tags:
22 de Março de 2015

Ando a ler o "a Torre dos anjos" de Philip Pullman. O livro foi-me gentilmente emprestado ( via roda dos livros, pois claro) e por isso não gosto de andar com ele por aí, como é meu hábito. Por sorte e porque a minha e-biblioteca é enorme tenho a versão original em e-book. Estou fã desta dualidade que me permite ter o melhor de dois mundos. E ler um livro meio em português, meio em inglês é bem mais fácil do que estava à espera.

publicado por Patrícia às 20:12 link do post
tags:
20 de Março de 2015

 
Raras vezes um livro me deixa com sentimentos tãocontraditórios como este “se nos encontrarmos de novo”.
Não conhecia esta escritora e foi (mais uma vez) através daRoda dos Livros que este livro me veio parar às mãos. Extremamente bemrecomendado, as expectativas eram altas.
A verdade é li metade do livro de uma assentada. O início éfenomenal e agarrou-me completamente. É um texto cheio de sentimento e acima detudo sobre sentimentos. Enaltecer o Amor, a saudade e a perda não está aoalcance de todos. Fazê-lo com uma escrita deliciosa e intimista ainda menos.Ana Teresa Pereira conseguiu-o. Por isso aconselho esta leitura sem reservas.
O meu problema foi a segunda metade do livro, a que li maistarde, já sem a surpresa que me proporcionou uma leitura empolgante. Boa partedo interesse do livro está nas constantes citações, referências e ligações àliteratura, à pintura, à arte em geral. Iris Murdoch, Piet Mondrian e William Turnersão apenas alguns dos artistas constantemente presentes. Mas não há uma citaçãotraduzida. Para mim, que sou fluente em inglês, isto não é preocupante. Mas nãoconsigo deixar de me incomodar com a absoluta falta de respeito pelos leitoresPortugueses que não compreendem inglês e que por isso não irão compreender asreferências. Não há uma nota de rodapé com a tradução. Este livro merece ser livroe relido de uma assentada, esta leitura não se coaduna com paragens para ir aodicionário nem para grandes buscas na internet. É certo que após a leitura fuiver/rever as obras mencionadas mas durante a leitura queria era continuar aler. Talvez este seja um problema da editora e não da escritora, da revisão enão da escrita mas ainda assim acho de uma falta de respeito pelos leitores queme irritou um bocado.
Por outro lado adorei a estrutura do livro. Uma históriacontada a duas vozes, sem nunca perder o interesse. Duas vozes tão diferentesmas que brilham ainda mais juntas. Byrne e Ashley, duas almas que partilhammomentos, sentimentos, vidas que se cruzam. Byrne, Ashley, Rose, Tom e Ed,todos com tonalidades diferentes a criar imagens à medida que a escrita de AnaTeresa Pereira me conquista.
publicado por Patrícia às 13:10 link do post
19 de Março de 2015

A Carla, a Diana e a Telma acham que só ler não basta e resolveram conversar sobre livros e deixar-nos participar na conversa.
No canal SLNB há 2 videos por mês. No início do mês, as três meninas contam-nos as suas leituras, dão-nos dicas de artigos interessantes e lançam um tema para discussão. No video do final do mês esse tema é rei e senhor e há geralmente convidados. Entretanto ainda há uma boa discussão no grupo qie criaram no Goodreads.
É um canal que sigo desde que começou (e é dos mais antigos no youtube, que eu saiba) embora raramente veja os videos em directo e às vezes os veja aos bocadinhos (digamos que a conversa pode facilmente ocupar mais de uma hora). O tema deste mês promete: vão falar de autores lusófonos. Ainda não tive tempo de ir conversar com elas Goodreads mas já espreitei os comentários e prevê-se uma tertúlia super interessante (espero boas sugestões de novos escritores, ok, meninas?)
Deixo-vos o video em que participou a Márcia onde as meninas falaram sobre "Calhamaços"




* Vou tentar sugerir um canal do YouTube todas as quintas feiras
publicado por Patrícia às 11:00 link do post
tags:
19 de Março de 2015




A história é-nos sempre contada pelos vencedores. E cadavez que pensamos na Segunda Guerra Mundial pensamos no holocausto, nas infâmiascometidas, nos crimes xenófobos. Mas raramente paramos para pensar no “como épossível que se tenha chegado àquele ponto?” ou “Porque é que aquele povoaceitou, deixou que isto acontecesse?” E menos vezes ainda temos respostas paraestas perguntas.
E foi para nos responder a estas perguntas (ou pelo menostentar) que a Irmgard A. Hunt escreveu este livro. Foi para nos tentar contar olado dos vencidos, dos que votaram no Hitler, dos que também foram enganados, dosque também sofreram mas que terão que viver sempre com o estigma de terem feitosofrer. Daqueles que não sabiam ou que quando souberam nada podiam fazer paraevitar a desumanidade. Daqueles que confiaram mas que se desiludiram com o seugoverno.
Irmgard vivia nas colinas perto perto do Ninho da Águia,chegou a ser fotografada ao colo do Fuhrer. A sua mãe era uma nazi por convicção ou desespero. O seu avô era um anti-nazi fervoroso. E Irmgard era umamenina que cresceu a questionar os porquês e que resolveu contar-nos a suahistória. Para que possamos conhecer os vários lados da história.
Sem dúvida um livro que vale a pena ler.

publicado por Patrícia às 00:04 link do post
12 de Março de 2015

Há uns tempos decidi começar a divulgar os canais do You Tube de gosto e que sigo regularmente.
E vou começar pelo canal da Inês que é, na minha opinião, o melhor canal literário Português. No canal InesBooks podem encontrar, acima de tudo, opiniões bem estruturadas sobre livros interessantes. Foi aqui que descobri uma das minhas escritoras favoritas, a Chimamanda Ngozi Adichie, por isso deixo-vos o video de opinião do "A cor do Hibisco".





(Inês, espero que não leves a mal a divulgação....)
publicado por Patrícia às 17:21 link do post
tags:
11 de Março de 2015

 
 
Um rápido update do 9GAG reading Challenge, com uma certa batota  (dificilmente consigo ler tantos livros num ano, pelo que vou usar o mesmo livro em categorias diferentes.
 
Os livros que já li foram:
 
Na Montanha de Hitler, de Irmgard A. Hunt
Se Nos Encontrarmos de Novo, de Ana Teresa Pereira
 
 
publicado por Patrícia às 18:02 link do post
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
subscrever feeds
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

antónio lobo antunes

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO