Ler por aí
 
11 de Janeiro de 2010


Sinopse




Portugal, 1964. Salazar proibia a Coca-Cola, a censura amordaçava escritores e a PIDE prendia inocentes. Beatriz e Rodrigo apaixonam-se. Ela, de educação católica e membro da Mocidade Portuguesa Feminina. Ele, um defensor da liberdade e crítico do regime. Em plena ditadura, havia apenas uma regra no que tocava às relações: não se apaixonar pela pessoa errada.
Quarenta e cinco anos mais tarde, o neto de Rodrigo abre um cofre fechado durante décadas e encontra as cartas de amor trocadas entre os dois. Descobre a história de uma paixão impossível, que tentou sobreviver às pressões sociais de um país mergulhado nas trevas do regime salazarista. A política de Salazar obrigou à separação dos dois amantes, mas nunca conseguiu matar o amor que os unia. Poderá ainda haver um final feliz, ou será tarde demais?
Entre o ambiente de Lisboa nos anos sessenta, a guerra em África e o retrato de uma sociedade governada pelo medo, o autor, com base numa história real, escreve um romance emocionante e comovente a que nenhum leitor ficará indiferente.



http://www.franciscosalgueiro.com/







Comecei a ler este livro no primeiro dia do ano e posso dizer que comecei bem 2010.
Este livro fala do amor entre Rodrigo e Beatriz. Rodrigo, um médico pró-democracia, soldado à força e Beatriz, membro da Mocidade Portuguesa, filha de um dos grandes da PIDE. Não esperava muito do livro, até porque o tema (um amor estilo Romeu e Julieta) me parecia demasiado banal. Mas enganei-me e ainda bem.
Passado na nossa história recente, numa Lisboa profundamente dividida entre aqueles que consideravam o regime politico um ultraje à inteligência e aqueles que o consideravam o ideal. Através da história dos vários personagens compreendemos mais um pouco desta realidade que foi a dos meus pais e avós.
Beatriz pertence à mocidade portuguesa e é parte de uma família infeliz, cujo patriarca se comporta como um ditador de 5ª categoria, que para além de ser um dos grandes da PIDE, é péssima pessoa. Utiliza o poder para maltratar e é acérrimo defensor do regime simplesmente porque lhe dá jeito. Beatriz, cresce sob o lema “Deus, pátria e família” e vê nas obras feitas por Salazar (como a ponte Salazar, actualmente 25 de Abril) a prova de que o regime é o melhor para Portugal.
Rodrigo é um convicto defensor da democracia, apesar de não concordar com a utilização todos os meios para atingir os fins. Ou seja, Rodrigo opta sempre por não desertar da guerra por uma questão de honra.
Rodrigo e Beatriz conhecem-se, apaixonam-se e são separados por uma guerra que não é deles, que tantas vidas roubou, que tantas histórias mudou.
Um livro surpreendente, que foge à clássica forma dos romances de cordel que nos ensinam que o amor pode tudo e muda tudo. Um romance histórico, que conta parte da nossa história.

publicado por Patrícia às 12:28 link do post
pesquisar neste blog
 
email
ler.por.ai@sapo.pt
subscrever feeds
mais sobre mim
tags

2017

adam johnson

afonso cruz

afonso reis cabral

agatha christie

alexandre o'neill

alguém quer este livro?

amin maalouf

ana cristina silva

ana margarida de carvalho

ana saragoça

ana teresa pereira

anna soler-pont

anne bishop

anne holt

antonio garrido

as paixões antigas

biblioteca de bolso

brandon sanderson

carla m. soares

carlos campaniço

carlos ruiz zafón

chimamanda ngozi adichie

colleen mccullough

conversas (sur)reais

cosmere

cristina drios

curtas

dan brown

danuta wojciechowska

david soares

diário de leitura

direitos dos leitores

dulce maria cardoso

elena ferrante

filipe melo

frank mccourt

george r.r martin

gonçalo m. tavares

greg mortenson

haruki murakami

helena vasconcelos

ildefonso falcones

inês pedrosa

isabel allende

jo nesbø

joão tordo

jodi picoult

josé eduardo agualusa

josé luís peixoto

josé rodrigues dos santos

josé saramago

juan cavia

julia navarro

juliet marillier

ken follet

l.c. lavado

ler em português

leya em grupo

lídia jorge

livros

luís miguel rocha

mai jia

maria manuel viana

mário zambujal

marion zimmer bradley

meg wolitzer

mitos e outros temas livrescos

mónica faria de carvalho

natal

nuno nepomuceno

opinião

os meus amigos também gostam de ler

patrícia müller

patrícia reis

paulo m. morais

podcast

richard zimler

robert wilson

robin sloan

roda dos livros

rosa lobato faria

rui cardoso martins

rui zink

sandra carvalho

sonhos

stephenie meyer

stieg larsson

stormlight archives

tarita

the way of kings

tiago carrasco

trudi canavan

ursula k. le guin

valter hugo mãe

vasco ribeiro

victoria hislop

words of radiance

youtube

zoran živković

todas as tags

blogs SAPO